Série Grandes Atrizes: Teuda Bara

Publicado em: 17/11/2021

Foto: Bob Sousa

A SP Escola de Teatro segue em sua série de minibiografias de grandes atrizes da história.

Na lista, há importantes nomes, como Ruth de Souza, Fernanda Montenegro e Cacilda Becker.

Nesta quarta-feira, 17, nossa homenageada é a atriz Teuda Bara; confira!

Teuda Bara:

Com uma trajetória longa no teatro brasileiro e repleta de personagens marcantes, Teuda Bara nasceu em Belo Horizonte, Minas Gerais em 1941. A artista participou de inúmeras produções teatrais e cinematográficas, recebendo por esses trabalhos diversos prêmios e indicações, como Festival de Cinema de Santa Rosa, Festival de Cinema de Maringá, 8° Encontro Nacional de Cinema e Vídeo dos Sertões, Prêmio MuBe Vitrine Independente, Festival de TV e Cinema do Interior, Prêmio Questão de Crítica, Festival Internacional de Cinema de Brasília.

Integrante-fundadora do Grupo Galpão, Teuda estudou Ciências Sociais na Universidade Federal de Mina Gerais (UFMG) na década de 1970, lugar onde atuou no teatro-jornal, do Diretório Acadêmico da Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais.

Série Grandes Atrizes: Zezé Motta

No mesmo período, ela estreiou no teatro como assistente de Eid Ribeiro, no espetáculo Fala Baixo Senão Eu Grito, de Leilah Assumpção, e fundou o grupo Fulias Banana ao lado do ator Adyr Assumpção. Na sequência mudou-se para São Paulo para trabalhar no espetáculo Ensaio Geral do Carnaval do Povo, dirigido por José Celso Martinez Corrêa.

Retornou para Belo Horizonte em 1982, lá iniciou uma oficina de teatro com ator, diretor e coreografo George Froscher, e o também ator Kurt Bildstein, ambos do Teatro Livre de Munique, lançando as bases para o que seria o Grupo Galpão ao lado de Fernando Linares, Antonio Edson, Eduardo Moreira e Wanda Fernandes.

Série Grandes Atrizes: Léa Garcia

Passou a atuar na maioria dos espetáculos do grupo, que possuem como essência, o teatro popular da commedia dell’arte, o circo e a música.

Na década de 1990, fez parte do espetáculo histórico do grupo Romeo e Julieta, dirigido por Gabriel Villela, no qual fez sucesso incorporando a personagem da Ama, por sua interpretação pontual e afinada. É indicada ao Prêmio Shell de Melhor Atriz em 1996, por seu trabalho em Rua da Amargura, peça na foi a Virgem Maria.

Em 2000 Romeu e Julieta foi remontada, e cumpriu uma temporada em Londres, a convite do Globe Theatre, tradicional teatro popular da Inglaterra. O desempenho de Teuda chamou a atenção de críticos e do diretor Robert Lepage, que a convidou, tempos mais tarde, para atuar no espetáculo KÀ, do Cirque de Soleil.

Série Grandes Atrizes: Fernanda Montenegro

Em 2004, Teuda mudou-se para o Canadá, lá passa a viver entre Quebec e Las Vegas, nos Estados Unidos.

Retornou ao Brasil em 2007, e deu continuidade as pesquisas teatrais com o Grupo Galpão e participou de produções para o cinema e televisão, entre elas, o longa-metragem dirigido por Selton Mello O Palhaço, As Duas Irenes, dirigido por Fábio Meira e a telenovela Meu Pedacinho de Chão, dirigida por Luiz Fernando Carvalho.

Série Grandes Atrizes: Cacilda Becker

O Inspetor Geral, de Nikolai Gogol, dirigido por Paulo José; Partido, dirigido de Cacá Carvalho; Álbum de Família, de Nelson Rodrigues, dirigido por Eid Ribeiro; A Comédia da Esposa Muda, dirigido por Paulinho Polika; Um Molière Imaginário, de Cacá Brandão, dirigido por Eduardo Moreira e Um Trem Chamado Desejo, de Luís Alberto de Abreu, dirigido por Marcelo Bones, são alguns dos muitos trabalhos realizados por esse grande expoente da cena brasileira.




Relacionadas:

Notícias | 02/ 12/ 2021

TBT: Relembre a 1ª edição do Prêmio Arcanjo de Cultura

SAIBA MAIS

Notícias | 02/ 12/ 2021

Nota de pesar: Morre Toni Edson, formador da SP Escola de Teatro

SAIBA MAIS

Notícias | 02/ 12/ 2021

Estudantes do curso de Iluminação 2021 da SP Escola de Teatro realizam apresentações no primeiro dia do Festival Satyrianas

SAIBA MAIS