EN | ES

Estudantes da SP põem em prática o que aprenderam com poéticas de rua nos primeiros experimentos cênicos do semestre; confira!

No início desta semana, os estudantes do curso técnico em teatro da SP Escola de Teatro apresentaram os primeiros experimentos cênicos do semestre! Eles se reuniram em núcleos – formados por pelo menos 1 integrante de cada linha de estudo da instituição- e produziram  exposições poéticas a partir das principais temáticas do material de estudo do semestre, transformando teoria em prática.

Nesta retomada presencial, a Biblioteca da SP Escola de Teatro está com novidades; saiba mais!

Os coordenadores e artistas docentes do curso técnico estiveram presentes na mostra avaliando os trabalhos, que são frutos das pesquisas desenvolvidas até o momento e mostram um panorama daquilo que será desenvolvido ao longo do semestre. Até julho de 2022, acontecem mais dois eventos nos quais experimentos cênicos serão apresentados, sendo o terceiro com entrada livre e gratuita para o público em geral.

No total, foram formados 16 núcleos para criação e elaboração dos projetos, 8 do módulo azul (turma vespertina) e 8 do módulo verde (turma matutina). O material de estudo dessa primeira exposição foi poética de rua, tema que trabalha questões relacionadas ao artista urbano e o seu lugar de ocupação/uso, que é a cidade. Em geral, o objeto de pesquisa tem sido as vivências e produções artísticas de Efigênia Rolim, Helio Leites, Zé Bolo Flô, Berna Reale e Leonardo Scantbelruy, para o módulo azul o foco é na performatividade, já para o verde é personagem/conflito.

Curso de ‘Produção cultural – O beabá da produção’ prepara estudantes para entrarem no mercado de trabalho

Confira fotos da exposição:

 


 

Saiba mais sobre os artistas que têm inspirado os estudantes:

 

Zé Bolo Flô

Zé Bolo Flô é um homem que viveu no Bairro do Beú, na década de 1960, e era considerado pelos moradoras da região um poeta andarilho. Começando sua vida como ambulante, ele vendia bolo no centro da cidade, com o passar do tempo sua persona vai se incorporando à paisagem urbana; de maneira que ele faz a própria produção poética através do contato com a cidade. Assim, esse personagem é um ícone da cultura cuiabana e se tornou uma figura que incorpora a poética da rua.

Efigênia Rolim

Mãe de 9 filhos, Efigênia Rolim um dia foi surpreendida por um papel verde de bala de hortelã que achou ser uma joia, a partir daí ela começou a trabalhar produzindo arte com o lixo. Onde muitos enxergavam apenas itens descartáveis e cotidianos, a artista começou a ver matéria-prima para bonecos, carros e múltiplas imagens fantásticas e fantasiosas. Atualmente é reconhecida como a rainha do Papel, por utilizar principalmente papel de bala nas suas esculturas, é tema de diversas produções acadêmicas nos cursos de Artes Visuais e Antropologia de diversas universidades brasileiras.

Hélio Leites

Hélio Leites é poeta, performer e bottom-maker, ele trabalha com objetos como caixinhas de fósforo, botões, rolhas, latas, madeira e restos de material entalhado que, por suas mãos, transformam-se em personagens que contam histórias, prendendo a atenção de crianças e adultos.

Berna Reale

Berna Reale (nascida em Belém do Pará em 1965) é uma artista visual brasileira e perita criminal do Centro de Perícias Científicas do Estado do Pará. Por meio do uso de seu corpo em performances e instalações, propõe reflexão sobre o momento sociopolítico contemporâneo com especial ênfase na temática da violência. Reale estudou arte na Universidade Federal do Pará (Belém do Pará, PA) e participou de diferentes exposições (individuais e coletivas) no Brasil e também em outros países, como Alemanha, Portugal, Itália e Inglaterra. Integrou a representação brasileira na 56a Bienal de Veneza, realizada em 2015.

Leo Scantbelruy

Leo Scantbelruy é um artista amazonense, que iniciou nas Artes Cênicas em 2010, na cidade de Porto Velho – RO, onde participou de grupos de teatro de rua, danças e ateliês de pinturas. Com mais de dez anos de atuação-formação contínua, entre processos criativos, colaborações, projetos e lutas, Leo segue sua caminhada que passa pela graduação em Licenciatura em Teatro pela Universidade do Estado do Amazonas (2018), ocupação e gestão do espaço criativo Casa passarinho no centro de Manaus, e agrupações Mona Coletiva, Associação Crioulas do Quilombo, Movimento Levante MAO, Mobiliza Cultura Amazonas, Triplicart.




Posts Archives

Estudantes da SP põem em prática o que aprenderam com poéticas de rua nos primeiros experimentos cênicos do semestre; confira!

Posted on

No início desta semana, os estudantes do curso técnico em teatro da SP Escola de Teatro apresentaram os primeiros experimentos cênicos do semestre! Eles…

Read more

Professora da USP escreve sobre experimentos cênicos do segundo semestre

Posted on

Entre os dias 8 e 13 de dezembro, a SP Escola de Teatro realizou a Mostra de Experimentos Cênicos. Nela, os estudantes dos oito…

Read more

Estudantes apresentam trabalhos sobre preconceito etário na Mostra de Experimentos Cênicos

Posted on

Entre os dias 8 e 13 de dezembro, a SP Escola de Teatro realiza a Mostra de Experimentos Cênicos. Nela, os estudantes dos oito…

Read more