Série Grandes Sonoplastas: Tato Fischer

Publicado em: 14/09/2021

Foto: Reprodução

A SP Escola de Teatro segue em sua série de minibiografias de grandes sonoplastas da história.

Na lista, há importantes nomes, como Paulo Herculano, Samuel Kerr e Tunica Teixeira.

Nesta terça-feira, 14, nosso homenageado é o cantor, pianista, ator, mágico e diretor musical, Tato Fischer; confira!

Tato Fischer:

O cantor, pianista, ator e diretor musical Tato Fischer nasceu em Penápolis, interior de São Paulo, em 1948.

O primeiro pianista do conjunto Secos & Molhados estudou Piano Erudito no Conservatório Musical de Lins, Psicologia na PUC e Artes Cênicas pela Universidade São Judas.

Série Grande Sonoplastas: Babaya Morais

Em 1972, iniciou sua carreira no teatro como ator, e até 1979 dava aulas de canto e tocava piano. Neste ano, montou “Chou”, seu primeiro espetáculo musical, dando início a uma série de outros projetos, cantando composições suas e de outros autores.

Entre as décadas de 1970 e 1980, Fischer fez parte dos grupos de teatro Vereda e Mambembe, realizando alguns trabalhos como A Farsa de Inês Pereira, de Gil Vicente, dirigido por Carlos Alberto Soffredini e Trágico à Força, de Anton Tchekhov, dirigido por Marcio Aurelio.

Série Grandes Sonoplastas: Tunica Teixeira

Ao longo de sua carreira, Tato participou de muitos festivais de música, e recebeu diversos prêmios por seus trabalhos, como o APCA (Associação Paulista de Críticos Teatrais), por “Foi bom, meu bem?”, de Luís Alberto de Abreu, e o Prêmio Mambembe, na categoria Direção Infantil, por “Dom Chicote Mula Manca”, de Oscar Von Pfuhl, além de ter integrado o Coral Standards de Jazz da Universidade Livre de Música Tom Jobim, de São Paulo, idealizado os projetos “Cantar Pra Ser Feliz” e “Pela PAX!” , e realizar oficinas de voz e canto, por todo o brasil com grupos de teatro e coral.

Série Grandes Sonoplastas: Paulo Herculano

Fischer trabalhou com importantes nomes da música e do teatro, entre eles, Tetê Espindola, Almir Sater, Margareth Menezes, Cida Moreyra, Trovadores Urbanos, Beatriz Segall, Rosi Campos, Gabriel Villela, Ney Latorraca, Jonas Bloch, Márcio Aurélio, Carlos Alberto Soffredini, Renato Borghi, Ester Góes, Walter Breda, Alberto Gaus, Paulo Herculano e Samuel Kerr.

A Lenda do Vale da Lua, de João das Neves, dirigido por Wilma de Souza, A Casa, roteirizado e dirigido por Rudifran Pompeu, e o espetáculo Floresta dos Mistérios, escrito e dirigido por Márcio Araújo, são alguns dos muitos trabalhos realizados por esse multiartista.




Relacionadas:

Notícias | 28/ 09/ 2021

Seminário Cenas Modernas: 1922 e além tem Zé Celso entrevistado por Letícia Coura em encontro nesta quarta, 29

SAIBA MAIS

Notícias | 28/ 09/ 2021

Série Grandes Sonoplastas: Wilson Sukorski

SAIBA MAIS

Notícias | 27/ 09/ 2021

Centenário Paulo Freire: Educação como prática da liberdade, por Ueliton Alves

SAIBA MAIS