Em atendimento à legislação eleitoral, os demais conteúdos deste site ficarão
indisponíveis de 2 de julho de 2022 até o final da eleição estadual em São Paulo.
Em atendimento à legislação eleitoral, os demais conteúdos deste site ficarão indisponíveis de 2 de julho de 2022 até o final da eleição estadual em São Paulo.
EN | ES

Participantes da oficina Olhares escrevem críticas sobre peças das Satyrianas

Publicado em: 07/12/2020

Como parte da oficina Olhares: poéticas críticas digitais, os participantes acompanharam a programação da 21ª edição do festival Satyrianas, que acontece online via plataforma Zoom, entre os dias 3 e 6 de dezembro.

A oficina se estruturou em três dias de trocas teóricas e, durante o festival, os participantes desenvolveram críticas de obras escolhidas dentro da programação.

O coletivo é coordenado pelo crítico e professor Amilton de Azevedo, que ministrou a oficina e acompanhou a escrita dos textos.

Confira as críticas:

“O FUTURO”: IMPORTANTE CHEGAR DESAVISADO

Os espelhos de “Parto”, entre morte e nascimento

“Conselho de Classe”: realidade, perplexidade, inspiração

“Quarentenegação” e a ficção sutil que conecta angústias

“Zé do Burro no TikTokVerso” acerta ao atualizar personagem com artifícios do aplicativo em espetáculo que exalta a resiliência humana

Ninguém vai ao teatro para ficar sozinhe: as janelas de possibilidades em “Dentro”

Em “Novos Normais”, Os Satyros não esquecem das velhas saudades

“Eu queria que alguém percebesse, mas ninguém percebeu” e o perigo da indiferença

Memes, filtros e efeitos sonoros levam Dias Gomes para as redes sociais em “Zé do Burro no TikTokVerso”

Em “Mojubá”, o louvor permanece lamento

Colocar no corpo as angústias sentidas (ou os muitos pesos de um mesmo pássaro morto)

Sem cair no clichê, “Pérolas” surpreende com crônica dilacerante sobre travestis no mundo da prostituição 

O que fazer?

“Mojubá” tem fome do que é mais caro: carta ao Grupo de Teatro Fântaso

“O FUTURO” ou SE FOR ASSISTIR VÁ NA PAZ

Histórias e retratos, comentários sobre “Polaroides Secretas”

Ambicioso, espetáculo “Capitu” não faz jus ao que se propõe

“Thalassa: vinda do mar” e afogada como cânone

“Polaroides Secretas”: Sentir Para Não Entender. Entender Para Não Sentir

 




Relacionadas:

Notícias | 15/ 08/ 2022

Gargarejo Cia. Teatral apresenta projeto em que revisita obras clássicas de Machado de Assis na próxima terça (16), na SP

SAIBA MAIS

Notícias | 15/ 08/ 2022

Miguel Rocha, artista egresso da SP e diretor da Cia. de Teatro Heliópolis, é indicado ao Prêmio APCA 2022; veja entrevista exclusiva!

SAIBA MAIS

Notícias | 15/ 08/ 2022

SP Escola de Teatro e Itaú Cultural promovem a 1ª Edição do Seminário O Sujeito Histórico do Teatro de Grupo do Estado de São Paulo

SAIBA MAIS