Massagem para relaxar, feita por mãos que veem

Publicado em: 18/07/2013

A massoterapeuta e enfermeira Marinês Almeida em ação: mãos mágicas (Fotos: SP Escola de Teatro/Arquivo)


A cada 15 dias, os colaboradores da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco começam o dia em contagem regressiva. Tudo por conta da massagem a que cada um tem direito, com profissionais do grupo Massoterapeutas Especiais, em um projeto desenvolvido pelo Programa Kairós.

Coordenada pela enfermeira e massoterapeuta Marinês Cristina Almeida, a turma dos Massoterapeutas Especiais é formada, exclusivamente, por pessoas com necessidades especiais, relacionadas à visão, como cegos, indivíduos com baixa visão ou com visão subnormal.

Nesta semana, Marinês chegou à Sede Roosevelt acompanhada de Geisa Souza Santos, que nasceu com glaucoma (pressão alta nos olhos) e, há sete anos, perdeu completamente a visão.  “Fui dormir enxergando, e acordei cega, devido a um estresse. Mas, com a cegueira, ironicamente, descobri que podia ter autonomia, viver. Se me dessem a opção de voltar a enxergar, diria ‘não’. Depois que fiz o curso de massoterapeuta, entendi que sou capaz”, conta Geisa, que emenda: “Eu só tenho a agradecer à SP Escola de Teatro, que apostou na gente, no nosso potencial. Está sendo uma oportunidade maravilhosa trabalhar aqui”.

“O caso da Geisa chama a atenção para o cuidado que as pessoas deveriam ter com a visão. Estresse, falta de qualidade de vida e outros fatores podem agravar certas doenças, como aconteceu com ela, que tinha glaucoma. Além disso, ir ao oftalmologista deveria ser encarado como são as consultas ao dentista. A periodicidade anual ou semestral tem de ser respeitada, para se evitar doenças mais sérias, especialmente aquelas ‘silenciosas’, como retinose pigmentar, descolamento de retina”, alerta Marinês, que perdeu a visão do olho direito e que, com o esquerdo, só enxerga 20%.

“Um professor me contou que a massagem terapêutica nasceu na China e, em Pequim, há várias clínicas com massagistas exclusivamente cegos. Acredito mesmo que nós temos um jeito diferente de tocar e sentir a pessoa que está sendo massageada, afinal, enxergamos com as mãos”, diz Geisa. Pela expressão dos funcionários após a sessão de massagem, todos concordam com Geisa!

Serviço
Massoterapeutas Especiais:
Contatos pelo Espaço Viv (tel. 3086-2699)

 

Texto: Esther Chaya Levenstein

 

Relacionadas:

Uncategorised | 03/ 11/ 2021

Danilo Dal Lago, artista egresso da SP, estreia peça que contrapõe escritor periférico e mercado editorial

SAIBA MAIS

Uncategorised | 28/ 10/ 2021

Maria Bonomi inaugura obra no Memorial da América Latina que homenageia vítimas da pandemia

SAIBA MAIS

Uncategorised | 01/ 10/ 2021

Festival Satyricine Bijou anuncia vencedores da mostra competitiva e homenageia a atriz e cineasta Helena Ignez

SAIBA MAIS