Laerte Coutinho recebe prêmio do Ministério da Cultura

Publicado em: 30/10/2013

Há quatro anos, Laerte Coutinho, um dos principais cartunistas do Brasil, decidiu começar a realizar um desejo antigo: passar a se vestir de mulher. E o foi fazendo aos poucos, acompanhado por sua personagem dos quadrinhos, Hugo, que ia se “transformando” em Muriel.

 

Hoje com 62 anos, Laerte tomou as rédeas de sua própria vida, mostrando que nunca é tarde para mudar. Legítimo quebrador de tabus, o artista, que é bissexual – e tem até filhos –, faz questão de destacar sempre que o travestimento, ou “cross-dressing”, não é questão de sexualidade, e sim de gênero.

 

Por tudo que fez e faz pela cultura do País, a obra do cartunista é um dos materiais de trabalho utilizados pelo módulo Amarelo da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco neste semestre, que tem como eixo temático a narratividade. Em agosto, o artista esteve na Instituição, ministrando aos aprendizes a aula inaugural do semestre e, no início do ano, sua exposição “Muriel Visível” ficou em cartaz na Escola, como parte da programação do SP TransVisão – Semana da Visibilidade Trans.

 

Agora, Laerte recebe um importante reconhecimento: ele foi agraciado pelo Ministério da Cultura na Ordem do Mérito Cultural (OMC), na classe comendador. O principal intuito do prêmio, que existe desde 1995, é reconhecer personalidades que tenham contribuído à cultura brasileira. Neste ano, 37 personalidades serão agraciadas.

 

Ivam Cabral e Laerte, durante o vernissage da mostra “Muriel Visível”, no saguão da SP Escola de Teatro

 

As homenagens e entrega das medalhas acontecerá na próxima terça-feira (5) – data em que é celebrado o Dia Nacional da Cultura –, no auditório Ibirapuera. Nesta edição, os homenageados na OMC serão o arquiteto Oscar Niemeyer e a artista plástica Tomie Ohtake.

 

A escolha dos nomes foi realizada a partir de indicação da sociedade civil. Os indicados foram avaliados por uma comissão técnica, constituída por gestores das secretarias do Ministério da Cultura, que emitiu parecer conclusivo antes de encaminhá-los à consideração do Conselho da Ordem do Mérito Cultural. Integram o Conselho da OMC, a ministra de Estado da Cultura, que o preside na qualidade de chanceler, e os ministros de Estado das Relações Exteriores, da Educação e da Ciência e Tecnologia.

 

Antônio Fagundes, Sérgio Mamberti, Antonio Abujamra, Bárbara Paz e Antunes Filho – diretor que participou de uma roda de conversa na Escola, no ano passado – são alguns dos outros nomes que aparecem na lista. Confira a lista completa:

 

ADMITIR,

 

NA CLASSE GRÃ-CRUZ:

Eleazar Segundo Afonso De Carvalho, centenário – in memoriam;

Henrique De Souza Filho (Henfil) -in memoriam;

Juvenal De Holanda Vasconcelos (Naná Vasconcelos);

Roberto Pires – in memoriam;

Rubem Braga,Centenário – in memoriam;

Antônio da Silva Fagundes Filho (Antônio Fagundes);

Sérgio Duarte Mamberti (Sérgio Mamberti) e

Walter Torreggiani Pinto (Walter Pinto),Centenário – in memoriam;

 

NA CLASSE COMENDADOR:

Antonio Abujamra;

Lucy Villela Barreto Borges (Lucy Barreto);

Marlos Mesquita Nobre De Almeida (Marlos Nobre);

Nilcemar Nogueira e

Ronaldo Correia De Brito.

 

NA CLASSE CAVALEIRO:

Antonio Hélio Cabral (Hélio Cabral);

Bárbara Raquel Paz (Bárbara Paz);

Erasmo Esteves (Erasmo Carlos);

Ivan Guimarães Lins (Ivan Lins);

Maria Adelaide De Almeida Santos Do Amaral (Maria Adelaide Amaral);

Maria De Lourdes Cândido Monteiro (Maria Cândido);

Mira Maria Haar (Mira Haar);

Paulo Roberto Borge Jorge (Paulo Borges);

Rosa Maria Dos Santos Alvez (Rosinha) e

Waldoneide Garcia Marques (Walda Marques).

 

SEM GRAU DE CLASSE:

Associação de Sambadores e Sambadeiras do Estado da Bahia;

Sociedade Junina Bumba Meu Boi da Liberdade;

Associação Cultural Bloco Carnavalesco Ilê Ayê;

Grupo Dança 1º Ato;

Grupo Gay da Bahia e

Maracambuco Fã Clube Batuque da Nação – Grupo Maracambuco.

 

 

PROMOVER,

 

NA CLASSE GRÃ-CRUZ:

Carlos José Fontes Diegues (Cacá Diegues);

Daniel Monteiro Costa (Daniel Munduruku);

Euzébia Silva De Oliveira (Dona Zica),centenário – in memoriam;

José Alves Antunes Filho (Antunes Filho);

Maurice Carlos Capovilla (Carlos Capovilla);

Paulo Archias Mendes Da Rocha; e

Tomie Ohtake, centenário e

 

NA CLASSE COMENDADOR:

Laerte Coutinho (Laerte)

Relacionadas:

Uncategorised | 03/ 11/ 2021

Danilo Dal Lago, artista egresso da SP, estreia peça que contrapõe escritor periférico e mercado editorial

SAIBA MAIS

Uncategorised | 28/ 10/ 2021

Maria Bonomi inaugura obra no Memorial da América Latina que homenageia vítimas da pandemia

SAIBA MAIS

Uncategorised | 01/ 10/ 2021

Festival Satyricine Bijou anuncia vencedores da mostra competitiva e homenageia a atriz e cineasta Helena Ignez

SAIBA MAIS