I Congresso Brasileiro de Dramaturgia aprofunda discussão sobre a área

Publicado em: 06/11/2014

A SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco, a ATO – Associação de Amigos dos Autores, o CBEC – Conselho Brasileiro de Entidades Culturais, a AR – Associação de Roteiristas, a AC – Associação de Cinema e o IAB – Instituto Augusto Boal promovem, de 20 a 23 de novembro, o I Congresso Brasileiro de Dramaturgia, na Praça das Artes, em São Paulo. Gratuitas, as inscrições devem ser feitas online, no site www.congressodramaturgia.com.br. A programação completa também está disponível no endereço.

 

O evento, que conta com patrocínio da Prefeitura Municipal de São Paulo e apoio cultural da Rede Globo, faz parte do projeto de revitalização da Sociedade Brasileira de Autores Teatrais (SBAT), que completa 100 anos em 2017. A histórica academia, fundada por Chiquinha Gonzaga, está em situação extremamente delicada, comprometida pelas dívidas deixadas por gestões antigas e pela consequente perda de prestígio.

 

Com programação totalmente gratuita, o evento integra as ações em prol da SBAT, a Sociedade Brasileira de Autores Teatrais

 

Para reverter essa situação, o diretor Aderbal Freire-Filho – único membro restante do conselho diretor que assumiu a instituição em 2004, composto por Alcione Araújo, Millôr Fernandes e Ziraldo – há anos vem buscando soluções para injetar vida nova na associação.

 

O Congresso surge, então, como parte deste esforço em prol da SBAT. Na extensa programação, serão tratados assuntos relacionados não apenas ao teatro, mas também ao cinema e à TV. A proposta é discutir os caminhos da dramaturgia brasileira através do ponto de convergência entre dramaturgos e roteiristas, abordando uma vasta gama de temas concernentes à área, como a regulamentação da profissão, as políticas públicas, a lei dos Direitos Autorais, a censura imposta pelos patrocinadores, as relações de trabalho e contratos, entre outros.

 

“Na contramão da falta de reconhecimento, a produção artística na área, felizmente, pulsa latente. Deste ponto de vista, o momento que vivemos é fantástico para a dramaturgia brasileira. Nunca tantos dramaturgos talentosos surgiram para colocar em cena as questões que movem a atualidade. A reunião de nossos pares é ação obrigatória para nos mantermos fortes”, diz Ivam Cabral, diretor executivo da SP Escola de Teatro e presidente da ATO.

 

Programação

A abertura do evento acontecerá no dia 20 de novembro, a partir das 17h, com credenciamento e acolhida. Às 19h, no Salão Nobre do Theatro Municipal, o Secretário Municipal de Cultura de São Paulo, Sr. Juca Ferreira, falará sobre os objetivos do Congresso e a divisão dos Grupos de Trabalho. Depois, das 20h30 às 22h, haverá um coquetel de confraternização.

 

No dia 21, às 9h, será promovida a primeira mesa, “Dramaturgos e roteiristas – Pontos de convergência”, com Rubens Rewald, Aderbal Freire-Filho, Lauro Cesar Muniz e Bráulio Mantovani. A mediação será de Ricardo Hofstetter.

 

Na sequência, às 11h30, a segunda mesa abordará o tema “Lei Direito Autoral – uma lei para todos os artistas”, com Marcos Souza, Carol Kotscho, Evaristo Azevedo, Marcílio Morais e mediação de Alexandre Negreiros. 

 

Das 15h às 18h30, serão ministrados workshops temáticos organizados pela SP Escola de Teatro, na Sede Roosevelt da Instituição.

 

No dia 22, às 9h, a mesa 3 terá como questão central a provocação “Existe uma crise criativa na dramaturgia brasileira?”. Integram o debate Alcides Nogueira, Aimar Labaki, Aderbal Freire-Filho e Marici Salomão, sob mediação de Ivam Cabral.

 

Às 11h30, virá a quarta mesa: “Existe censura no Brasil, hoje? – classificação indicativa e/ou proibitiva?”. Dela, participarão Ricardo Hofstetter, Eduardo Benaim e Lauro Cesar Muniz, com mediação de Mario Sergio Medeiros. 

 

A mesa 5 será promovida às 15h, sob o tema “Música para teatro, cinema e TV: como tratar esses direitos?”, reunindo Ilo Krugli, Caique Botkay e Martin Eikmeyer. Mediação de Alexandre Negreiros.

 

Na última mesa do dia, “Políticas públicas de apoio à dramaturgia”, Alfredo Manevy e Cecília Boal conversarão com mediação de Eneida Soller. No final do dia, haverá, ainda, projeção do filme “A luneta do tempo”, de Alceu Valença, no Cine Olido, às 20h, e conversa com o produtor Tuinho Schwartz, às 22h.

 

O último dia do Congresso, 23 de novembro, contará com mais duas mesas. A primeira, às 9h, em torno do assunto “Os contratos entre produtoras e roteiristas – quais são as nossas escolhas?”, com Thiago Dotori, Eneida Soller, Vanisa Santiago, Victor Drummond e mediação de Alexandre Negreiros. A última, às 11h30, tratará sobre “Associações em associação – uma proposta para o fortalecimento de dramaturgos, roteiristas e artistas”, com participação de Ricardo Hofstetter, Lauro Cesar Muniz, Aderbal Freire-Filho, Ivam Cabral, Dinovan Oliveira, Thiago Dotori, Eneida Soiller e mediação de Mario Sergio Medeiros.

 

Os grupos de trabalho que estarão reunidos ao longo do Congresso apresentarão suas propostas e um documento final às 15h. O evento de encerramento acontecerá às 18h30.

 

Serviço

I Congresso Brasileiro de Dramaturgia

Quando: De 20 a 23 de novembro

Onde: Praça das Artes

Av. São João, 281 – Centro – São Paulo

Contato: (21) 2539-1214 ou eventos@cmeventos.com.br

Grátis (inscrições pelo site www.congressodramaturgia.com.br)

Relacionadas:

Uncategorised | 03/ 11/ 2021

Danilo Dal Lago, artista egresso da SP, estreia peça que contrapõe escritor periférico e mercado editorial

SAIBA MAIS

Uncategorised | 28/ 10/ 2021

Maria Bonomi inaugura obra no Memorial da América Latina que homenageia vítimas da pandemia

SAIBA MAIS

Uncategorised | 01/ 10/ 2021

Festival Satyricine Bijou anuncia vencedores da mostra competitiva e homenageia a atriz e cineasta Helena Ignez

SAIBA MAIS