SP Escola de Teatro é indicada ao Prêmio Shell 2017, na categoria Inovação

Publicado em: 14/12/2016

Sede da SP Escola de Teatro na Praça Roosevelt
 
A SP Escola de Teatro — Centro de Formação das Artes do Palco figura na lista dos indicados ao Prêmio Shell de Teatro de São Paulo, divulgada na última terça-feira, 13 de dezembro. A Instituição foi lembrada na categoria Inovação, pela formação de profissionais na área técnica e artística sob uma política pedagógica contemporânea.
 
O diretor executivo da Escola, Ivam Cabral, festejou a indicação. “Hoje é dia de celebrarmos a indicação ao mais importante prêmio teatral nacional! Não preciso dizer que o mérito é dos colaboradores de todos os setores da Instituição, que se empenham diariamente em dar concretude a este projeto que é, antes de tudo, um sonho”, disse. Cabral tem comemoração dobrada, já que é fundador e integrante do grupo Os Satyros, que levou indicação ao mesmo prêmio, na categoria Figurino, pela peça “Cabaré Fucô”.
 
Destaque há quase 30 anos no teatro brasileiro, o Prêmio Shell chega à sua 29ª edição como a mais relevante premiação das Artes Cênicas no Brasil. Em nove categorias, o júri indica os melhores trabalhos do primeiro e do segundo semestre do ano, nas cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo. 
 
A SP Escola de Teatro concorre com o Centro Cultural São Paulo (o CCSP, indicado no primeiro semestre pelo estímulo à experimentação de novas formas cênicas) e com o Grupo Parlapatões (indicado no segundo semestre, junto à Escola, pela manutenção de espetáculos de repertório em seu espaço). A Instituição vê a indicação como uma vitória, já que reconhece a importância do CCSP e do Grupo Parlapatões, este, inclusive, vizinho da Escola, amigo de longa data e parceiro de diversas iniciativas.
 
Inovação
 
A inovação está no DNA da SP Escola de Teatro. Isto porque, desde que foram tomadas as primeiras iniciativas para sua realização, ideais progressistas já pautavam o projeto que, hoje, já formou mais de 600 artistas em oito áreas das Artes Cênicas.
 
A contemporaneidade fica evidente, principalmente no modelo pedagógico da Instituição. Além de oferecer cursos raramente ofertados no Brasil (como Técnicas de Palco, Humor e Iluminação), há um cuidado especial na forma de ensino. Os aprendizes são estimulados a desenvolver um pensamento crítico sobre a arte, em um ambiente não hierárquico e aberto.
 
O aporte teórico da Escola tem base na pedagogia da autonomia proposta pelo educador Paulo Freire, na noção de território e espacialização desenvolvida pelo geógrafo Milton Santos e pela visão sistêmica do processo cognitivo do físico austríaco Fritjof Capra.



Relacionadas:

Notícias | 17/ 01/ 2022

10ª Edição do SP Transvisão – Semana da Visibilidade de travestis e transexuais ocorre a partir do dia 23 de janeiro, na Sede Roosevelt da SP Escola de Teatro

SAIBA MAIS

Notícias | 17/ 01/ 2022

Oficina de HQ abre temporada 2022 da Extensão Cultural da SP; confira como foi!

SAIBA MAIS

Notícias | 14/ 01/ 2022

Agenda Cultural: as melhores dicas para o seu fim de semana!

SAIBA MAIS