EN | ES

2º Encontro do Seminário da Mostra de Estudantes PQ-23 aborda a atuação escolar em quadrienais nesta quarta (22); confira!

Publicado em: 22/06/2022

Nesta quarta-feira, 22, às 19h30, acontece a palestra sobre a participação das Escolas nas Quadrienais, com Lídia Kosovisk, Luiz Henrique, Dalmir Rogério e Helô Cardoso, com mediação por Thiago Bassani. O evento faz parte do 2º Seminário da Mostra de Estudantes da Quadrienal de Praga de 2023, que será transmitido pelo canal do YouTube da SP Escola de Teatro.

SP Escola de Teatro promove palestra digital Boas Práticas Para Um Mundo Sem Lixo, com Edilainne Muniz, dia 25

A ação consiste numa série de encontros que integram a programação e antecedem o evento mais importante da cenografia mundial, a Quadrienal de Praga, que é realizada a cada quatro anos na capital da República Tcheca desde 1967. Além desse, o 2º Seminário da Mostra de Estudantes da Quadrienal de Praga de 2023 ainda promove mais um encontro com a temática Raro na Relação com Tradição e Transgressão, que será no dia 23, às 19h30.

Projeto Escola Verde: Mutirão de Limpeza da Praça Roosevelt, ação da Adaap com o Instituto Limpa Brasil, acontece na próxima terça (28)

Confira mais sobre os convidados:

Lídia Kosovski

Graduada arquiteta pela FAU-UFRJ , começou a trabalhar como cenógrafa Teatral em 1980 tendo realizado em torno de 150 trabalhos. Recebeu 32 indicações e 11 prêmios regionais , entre Shell, Mambembe , Coca-Cola , CBTIJ , Questão de Crítica e Cesgranrio. Na vida acadêmica leciona no Departamento de Cenografia e no PPGAC em Artes Cenicas da UNIRIO que coordenou entre 2008 e 2011 . Atualmente é Coordenadora do Lince- Laboratório de Investigação Cenográfica na UNIRIO . É atualmente pesquisadora da FAPERJ e pesquisadora de produtividade do CNPQ até 2021. Foi cenógrafa em teatro e cinema de diretores como Amir Haddad, Augusto Boal, Daniel Hertz, Arnaldo Jabor, Luiz Arthur Nunes, Cacá Mourthé, Pedro Kosovski, entre outros. Em cinema , foi figurinista e diretora de arte de Hugo Carvana e Ricardo Pinto da Silva. Atualmente se dedica também à concepção expográficas em Artes Visuais e Temáticas.

Dalmir Rogério

É designer da performance, diretor de arte e Doutor em Artes Cênicas pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP). Professor na Área de Artes da Cena na Escola de Música e Artes Cênicas da Universidade Federal de Goiás (EMAC/UFG) onde desenvolve pesquisa acerca do fenômeno cênico na produção de imagem em contexto ampliado, a partir do Projeto de Pesquisa Corpo-relacional: teatralidade como estratégia de potência na imagem-levante e imagem-transformadora (início em 2018). Atualmente é Presidente da Comissão de Assuntos de Extensão na Escola de Música e Artes Cênicas (CAEX-EMAC), membro da Câmara Superior de Extensão e Cultura (CSEC-PROEC/UFG), coordena o Laboratório Experimental de Desenho da Performance (início em 2018) ao qual está vinculada as palestras-espetáculo Corpo-bomba (2018), Filoctetes 137, as performances urbanas: “Ant(olho)” (2018) e “Tropa de Choque” (2019), Projeto Adobe (2019), as performances Devastação e Ruínas (2019) dentre outras produções artísticas e bibliográficas. Integra a Comissão Editorial da Revista Arte da Cena (desde 2018). É vice coordenador do Curso de Bacharelado em Teatro (EMAC, 2019). Artista colaborador na Mostra Nacional e Estudante (Brasil) da Quadrienal de Desenho da Performance e Espaço (PQ 2011, 2015, 2019), membro do ?Grupo de Trabalho Poéticas Visuais, Espaciais e Sonoras” e o “Fórum de Editores” da Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Artes Performáticas (ABRACE). Diretor de Arte, Cenógrafo e figurinista colaborador nas companhias Pomba Gira (2018), LaborSatori (2018) e Desvio Coletivo (2017), dentre outras. É Integrante do “GT de Cenografia” do IFTR (desde 2017), coordenado por Prof Dr. Nick Hunt e Professora Dra. Sophia Pantovouvaki, membro das comissões científicas do “Congresso Brasileiro de Iniciação Científica em Design e Moda” (desde 2014) e do “Congresso Internacional de Design e Informação”(desde 2017) e autor de “Figurino e Cenografia para Iniciantes”(Companhia das Letras e Cores, 2015).

Luiz Henrique Sá

Doutor em Artes Cênicas pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas (PPGAC) da UNIRIO, Mestre em História do Design Brasileiro e Bacharel em Design pela ESDI-UERJ, Luiz Henrique Sá especializou-se em design cultural, com desenvolvendo projetos para produções teatrais, shows, cinema e exposições, atuando como designer gráfico, cenógrafo e fotógrafo. É o atual diretor da Escola de Teatro da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), onde leciona disciplinas relacionadas a Cenografia Teatral. De 2012 a 2016, atuou como Coordenador do Bacharelado em Cenografia e Indumentária. Em 2014, foi premiado com uma bolsa de estudos pela Comissão Fulbright para desenvolver sua tese de doutorado como pesquisador visitante na Columbia University, Nova Iorque, EUA. Luiz Henrique lecionou Cenografia na Universidade Candido Mendes; Fotografia na Escola Superior de Desenho Industrial (UERJ); e Cenografia na Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Fez projeto gráfico para diversas produções teatrais, assim como capas de CD’s e DVD’s. Como cenógrafo, tem trabalho expoente em design para exposições, e realizou cenários para produções teatrais e musicais. Foi colaborador do cenógrafo brasileiro Helio Eichbauer por cerca de 15 anos em teatro, shows, balés e óperas.

Helô Cardoso

Artista Visual, seu trabalho é frequentemente direcionado ao teatro. Começou sua atividade profissional em 1973, criando objetos e projetos tridimensionais. Trabalhou com Yolanda Penteado (fundadora da Bienal de São Paulo) organizando fichários e pesquisas iconográficas. Desde 1983 participa de várias montagens cênicas como mascareira, cenógrafa e figurinista; também de exposições, performances, congressos, festivais nacionais e internacionais. Recebeu prêmios e indicações em cenografia, figurino e artes gráficas. Participa das Quadrienais de Praga desde 1995 representando o Departamento de Artes Cênicas da Unicamp, na seção das Escolas. Docente do Instituto de Artes da Unicamp, desde 1986. Foi coordenadora do Curso durante cinco anos. Atualmente vem aprimorando sua poética, desenvolvendo artes pessoais como desenhos, telas, tecidos, figurinos e tintas têxteis naturais. É também colaboradora da SP Escola de Teatro.

Thiago Bassani

É artista visual e professor do curso de Artes Visuais da Universidade Federal do Oeste da Bahia. Coordena o grupo de estudos Corpo-Matéria (UFOB). Pesquisador do GRUPA (Grupo de Pesquisa em Arte – UFU). Criou cenografias e figurinos em produções de diferentes linguagens. Participou da PQ15 na seção dos estudantes. Realizou exposições individuais e coletivas. Se interessa pelos processos de criação em diferentes plataformas como: performance, cenografia, vídeo e desenho com a perspectiva para o corpo e suas ações possíveis nos espaços.

 




Relacionadas:

Notícias | 07/ 07/ 2022

Dramaturgia criada por estudante durante curso de extensão da SP estreia em julho no RJ

SAIBA MAIS

Notícias | 06/ 07/ 2022

Louise Azevedo, artista egressa da SP, celebra publicação de seu texto dramático ‘Apartamento’, pela editora Urutau

SAIBA MAIS

Notícias | 06/ 07/ 2022

Processo Seletivo 2/2022: Confira os aprovados para turmas do 2º semestre de 2022

SAIBA MAIS