Em atendimento à legislação eleitoral, os demais conteúdos deste site ficarão
indisponíveis de 2 de julho de 2022 até o final da eleição estadual em São Paulo.
Em atendimento à legislação eleitoral, os demais conteúdos deste site ficarão indisponíveis de 2 de julho de 2022 até o final da eleição estadual em São Paulo.
EN | ES

Um Retorno à Infância

Publicado em: 23/11/2011

Reavivar o período da infância é o mote do projeto “Ter uma Brincadeira é Ter uma Alegria na Vida”, que integra o Experimento do Módulo Vermelho da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco. Como resultado do trabalho, foi criado o experimento cênico “Kotebá – Uma Viagem Inventada no Feliz”, que ainda será apresentado hoje, às 20h, no Teatro Plínio Marcos.

 

Para atingir a proposta, o grupo partiu de seis contos – dois de Marcelino Freire, dois de Clarice Lispector e dois de Guimarães Rosa. “São contos que dialogam com o universo infantil e remetem às memórias desse período. Trouxemos isso por meio da contação de histórias, brincadeiras, jogos e canções”, explica Naloana Lima, aprendiz de Direção que, junto com o colega de curso Renato Teixeira, encena a montagem.

 

(Arte: Rodrigo Meneghello)

 

Segundo ela, o primeiro dos textos – o de Marcelino – faz uma apresentação deste universo, “infatilizando” o espectador adulto (público alvo da apresentação) com uma linguagem lúdica, mas com um conteúdo forte, que retrata um mundo que também é cheio de problemas.

 

Logo ao início do exercício cênico, os atores convidam o público a “embarcar no País do Bem”, um local, onde, segundo a aprendiz de Iluminação Luana Belém, existe o lúdico, mas também o real, assim como no nosso próprio mundo, onde existem coisas ruins e problemas, mas também esperança, inocência e felicidade.

 

Para traduzir esses conceitos em algo visualmente atrativo, Luana conta que colocou em prática as pesquisas sobre os textos dos três escritores e uma abordagem feita pelo grupo, que pedia que cada membro contasse alguma lembrança marcante sobre sua infância. Dessa forma, muitas das passagens presentes na montagem dizem respeito a experiências vividas pelos aprendizes.

 

“O cenário, a luz e o som são bem suaves, leves. Trabalhamos o lúdico com elementos cênicos, por exemplo brinquedos, para não deixar que a temática perdesse a conexão com a realidade. Ao mesmo tempo, os elementos todos conspiram para que o texto não se torne muito pesado. Acho que essa ideia é a principal”, comenta Luana.

 

Naloana define a proposta do grupo como “um fragmento de vários universos, com bastante música. Encaro como uma vivência, algo que vai fazendo com que os adultos deem vida às suas lembranças mais marcantes, sejam elas felizes ou algo que tenha deixado marcas mais nostálgicas”.

 

Para saber onde e quando o grupo “Ter Uma Brincadeira é Ter uma Alegria na Vida” se apresenta, clique aqui.

 

 

Ficha técnica

 

Atuação: Fernanda Lopes, Samara Chedid e Tom Paranhos 

Cenografia e Figurino: Mariane Bonarde 

Direção: Naloana Lima e Renato Teixeira 

Dramaturgia: Paula Cicolin 

Iluminação: Luana Belem 

Sonoplastia: Danuza Novaes 

Técnicos de Palco: Alício Silva, Luis Machado Garcia e Sionara Reis

 

 

Texto: Felipe Del

Relacionadas:

Uncategorised | 16/ 12/ 2021

16 de dezembro é dia do Teatro Amador: Conheça mais sobre essa importante prática cultural brasileira!

SAIBA MAIS

Notícias | 03/ 11/ 2021

Danilo Dal Lago, artista egresso da SP, estreia peça que contrapõe escritor periférico e mercado editorial

SAIBA MAIS

Notícias | 28/ 10/ 2021

Maria Bonomi inaugura obra no Memorial da América Latina que homenageia vítimas da pandemia

SAIBA MAIS