Letícia Coura realiza encontro musical com estudantes da SP sobre o Teatro Oficina neste sábado, 23

Leticia Coura. Foto: Bob Sousa/Blog do Arcanjo

Acontece neste sábado, 23, às 11h, o encontro musical Cantando o Teatro Oficina: um passeio pela música da Jaceguay 520. O evento conta com a presença ilustre de Letícia Coura e a transmissão ocorre pelo Youtube da Escola.

Rodolfo García Vázquez, coordenador da SP, é o único latino-americano em congresso internacional de teatro na Lituânia

A artista conversa com os estudantes do curso de Sonoplastia da SP sobre o tema, tendo em foco a obra e o processo criativo do Teatro Oficina. É um assunto no qual Letícia possui domínio: Além de ser compositora, ela trabalhou por quase 20 anos com a Companhia de Teatro Oficina Uzyna Uzona, criada pelo encenador Zé Celso em 1958; já tendo se  apresentado em diversas cidades pelo Brasil e outros países como Alemanha, Croácia, Portugal e Bélgica. O encontro ainda é enriquecido pela mediação do jornalista, crítico e um dos principais pensadores do teatro brasileiro contemporâneo Kil Abreu.

Zé Celso 

Um dos mais importantes encenadores do teatro nacional, José Celso Martinez Corrêa nasceu em Araraquara em 1937. Diretor, autor e ator sua obra influenciou gerações; ainda na faculdade de Direito do Largo São Francisco fundou o teatro amador oficina que profissionalizou-se e se tornou referência das artes cênicas nacionais. O oficina possui uma pesquisa cênica centrada na relação palco-plateia, procurando provocar o público e tirá-lo da zona de conforto, de maneira que a plateia também ocupa um papel na cena. Algumas de suas famosas produções são Roda Viva, Galileu Galilei, O Rei da Vela e As Bacantes de Eurípedes.

Atores e dramaturgos periféricos são destaque no festival de teatro online da Trupe Investigativa Arroto Cênico

Letícia Coura

A cantora, compositora, escritora, atriz e preparadora vocal também tornou-se mestre em artes cênicas em 2021. Possui o disco solo Bam Bam Bam (Dabliú Discos, 1998) que possui composições próprias e de outros autores como Pixinguinha e Carmem Miranda. Também produziu Letícia Coura canta Boris Vian (Dabliú Discos, 2001) que reinterpreta a obra do poeta e trompetista francês. Além disso, é vencedora do Prêmio Shell de Teatro 2003 – Música pelo trabalho em Os Sertões – A Terra (direção de Zé Celso), no ano seguinte foi indicada ao mesmo prêmio na categoria especial, pela Direção e Percepção Musical do Coro no espetáculo Os Sertões – O Homem – do nascimento à revolta. Dos anos que trabalhou com o teatro oficina participou de inúmeros espetáculos, dentre eles: Ham-Let adaptação de Shakespeare, Macumba Antropófaga de Oswald de Andrade e Acordes de Bertolt Brecht.

Kil Abreu
Pós-graduado em Artes pela USP, além das acepções citadas, Kil abreu é pesquisador e educador; tendo atuado na Escola Livre de Teatro de Santo André durante 10 anos. Ele também foi curador do Centro Cultural São Paulo e crítico da Folha de S.Paulo. Além disso, dirigiu o Departamento de Teatros da Secretaria Municipal de Cultura/SP, e gerenciou projetos importantes como o Programa de Fomento, Teatro vocacional e Formação de Público. O jornalista ainda fez curadoria de alguns dos principais festivais nacionais, como os de Curitiba, Recife, Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto e do eixo “Olhares críticos” da Mostra Internacional de Teatro de São Paulo – MITsp/2017.
Serviço
Encontro online Cantando o Teatro Oficina: um passeio pela música da Jaceguay 520
Quando: sábado, 23 de outubro, das 11h às 13h
Mediação: Kil Abreu
Transmissão para o Youtube: SP Escola de Teatro
Aberta ao público e classificação Livre



Posts Archives

Letícia Coura realiza encontro musical com estudantes da SP sobre o Teatro Oficina neste sábado, 23

Posted on

Acontece neste sábado, 23, às 11h, o encontro musical Cantando o Teatro Oficina: um passeio pela música da Jaceguay 520. O evento conta com…

Read more