Em atendimento à legislação eleitoral, os demais conteúdos deste site ficarão
indisponíveis de 2 de julho de 2022 até o final da eleição estadual em São Paulo.
Em atendimento à legislação eleitoral, os demais conteúdos deste site ficarão indisponíveis de 2 de julho de 2022 até o final da eleição estadual em São Paulo.
EN | ES

SP Escola de Teatro recebe exposição fotográfica ‘Heroínas da Independência’, de Bob Sousa, a partir de 1º de agosto

Publicado em: 28/07/2022

Na imagem: à esquerda Joana Angélica, no centro Maria Felipa e à direita Maria Quitéria.

De 1º de agosto a 30 de setembro, a sede Roosevelt da SP Escola de Teatro recebe a exposição gratuita Heroínas da Independência, do fotógrafo Bob Sousa. A ação, realizada pela ADAAP (Associação dos Artistas Amigos da Praça) e pela SP Escola de Teatro, busca recuperar a trajetória de Maria Quitéria, Maria Felipa e Joana Angélica, mulheres que tiveram um papel fundamental na história da independência brasileira. Para isso, o artista utiliza seu olhar sensível para capturar as interpretações das atrizes convidadas Anette Naiman, Letícia Soares e Patrícia Vilela. A mostra marca a comemoração do Bicentenário da Independência realizada pelo Governo do Estado de São Paulo dentro da Agenda Bonifácio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. A exposição estará aberta para visitação de segunda a sexta, das 9h às 18h, e a entrada é franca.

Com curadoria de Miguel Arcanjo, coordenador de Extensão Cultural e Projetos Especiais da SP Escola de Teatro, e pesquisa de Luiza Amaral Camargo, historiadora pela USP e analista de comunicação da Instituição, a mostra apresenta estas mulheres às novas gerações. Nesse contexto, são trazidas reflexões acerca da atuação social e politica feminina, assim como o apagamento de figuras que tiveram um papel crucial na história.

Processo Seletivo 2/2022 – Dias e horários das avaliações do segundo momento da 2ª chamada – Técnicas de Palco

Vivida por Annete Naiman, Maria Quitéria (1792-1853) foi a primeira mulher na história a lutar nas Forças Armadas Brasileiras durante a Guerra pela Independência do Brasil. Ela vestiu-se de soldado, alistou-se no batalhão Voluntários do Príncipe Dom Pedro e chegou a ser condecorada com a Ordem Imperial do Cruzeiro do Sul. Maria Felipa, que é interpretada por Letícia Soares, foi líder da guerra pela independência, tendo comandado a tropa que resistiu contra o inimigo na Ilha da Itaparica, na Bahia. Segundo estudiosos, Maria se envolveu na luta contra as tropas portuguesas, pois essas prejudicavam as atividades e ocupavam pontos estratégicos da região. Já Joana Angélica (1761-1822), que é vivida por Patrícia Vilela, foi uma abadessa assassinada pelos portugueses no Convento da Lapa em Salvador da Bahia, que se tornou mártir da luta pela independência no Brasil.

Nesse contexto, o coordenador de extensão ressalta a relevância da temática tratada na exposição:

“A história do Brasil que nos foi contada parte de uma perspectiva masculina. Por isso, é primordial lançar foco às mulheres relevantes no processo histórico de formação da Nação, para que surjam novas narrativas. O processo de Independência do Brasil vai muito além do famoso grito de Dom Pedro I às margens do Ipiranga em 7 de setembro de 1822, cujo Bicentenário da Independência é celebrado neste ano”, explica Miguel.

TBT : Relembre o dramaturgo e diretor japonês Toshiki Okada na SP em 2014

Para Bob, que também é mestre em Artes pela UNESP e um dos jurados de Artes Visuais da APCA e do Prêmio Arcanjo de Cultura, a associação de Patrícia Vilela, Letícia Soares e Anette Naiman com essas três mulheres que foram artífices da libertação do país é simbólica e muito significativa:

“Participar de uma comemoração tão grandiosa como o Bicentenário da Independência do Brasil e poder revelar outras histórias, com essas heroínas que lutaram por um país melhor, é uma grande satisfação. Recriar essas grandes mulheres na pele dessas grandes atrizes brasileiras é um privilégio. Durante o ensaio fotográfico, cada atriz recriou com perfeição a atmosfera de sua personagem, que agora o público vê de perto. Agradeço à SP Escola de Teatro e toda equipe pelo convite. Viva a Independência! Viva o Teatro Brasileiro! Viva as mulheres!”

Primeiro show tributo a Ella Fitzgerald impacta público na sede Roosevelt da SP; veja fotos exclusivas

Para Ivam Cabral, diretor executivo da SP, poder recuperar a memória dessas mulheres e participar de uma celebração única, que é o Bicentenário da Independência, é uma enorme conquista.

“Esta exposição recria importantes personagens históricas pelo olhar aguçado de Bob Sousa, um fotógrafo de imensa importância no teatro brasileiro contemporâneo, diante da sensível interpretação de três grandes atrizes de nossos palcos”.

Serviço

Data: 01/08/2022 a 30/09/2022

Horário: 09:00 às 18:00

Funcionamento: De segunda a sexta

Local: SP Escola de Teatro – Unidade Roosevelt- Praça Roosevelt, 210, Centro – São Paulo – SP

Classificação Indicativa: Livre

Valores: Gratuito

 




Relacionadas:

Notícias | 17/ 08/ 2022

Tradutor de Silêncios, peça com textos de Mia Couto, estreia na sede Roosevelt da SP nesta sexta (19)

SAIBA MAIS

Notícias | 17/ 08/ 2022

Marici Salomão e Rodolfo García Vázquez participam de evento promovido pelo CPT do Sesc sobre dramaturgias moduladas pela tecnologia

SAIBA MAIS

Notícias | 17/ 08/ 2022

Fundação das Artes de São Caetano abre inscrições para a Mostra de Cenas Curtas de 2022

SAIBA MAIS