Sesc promove a Trilogia Afro Brasileira, com três montagens dirigidas por João das Neves

Publicado em: 11/11/2014

Homenageado neste ano com o 2º Prêmio SP Escola de Teatro, o diretor e dramaturgo João das Neves comemora 80 anos de vida. A especial ocasião, somada ao mês da Consciência Negra, rendeu a Trilogia Afro Brasileira, composta por três das principais montagens encenadas pelo artista em sua trajetória: “Besouro cordão de ouro”, “Zumbi” e “Galanga, Chico Rei!”.

 

Os espetáculos serão apresentados gratuitamente no Sesc Campo Limpo a partir desta sexta-feira (14). As três obras abordam temáticas relacionadas à cultura negra, recriando a história de três heróis brasileiros. 

 

“Galanga, Chico Rei!” (Foto: Divulgação)

 

Primeiro texto para teatro de Paulo César Pinheiro, “Besouro cordão de ouro” narra a história do lendário capoeirista brasileiro, que nasceu em Santo Amaro da Purificação e até hoje é lembrado nas rodas de capoeira de todo Brasil como símbolo de resistência. A peça, que ganhou o Prêmio Shell de melhor música em 2008, será apresentada nos dias 14 e 15, às 20h30; e 16, às 19h.

 

Baseado no clássico “Arena conta Zumbi”, de Augusto Boal e Gianfrancesco Guarnieri, “Zumbi” revive a história da luta por sobrevivência do Quilombo dos Palmares contra o domínio português. O elenco é composto apenas por atores negros, que se revezam fazendo todos os personagens, utilizando a técnica chamada de Curinga, criada por Boal, em que desaparece a figura do ator principal. O espetáculo tem sessões marcadas para os dias 20 e 23, às 19h; e 21 e 22, às 20h30.

 

Completando a trilogia, “Galanga, Chico Rei!” tem texto e música assinados por Paulo César Pinheiro. A trama acompanha a vida de Chico Rei, personagem antigo da tradição oral mineira. Rei de uma tribo do Congo, foi trazido ao Brasil como escravo e aqui trabalhou até conseguir comprar sua alforria e ajudar na libertação de muitos negros. Sessões nos dias 28, às 20h30; e 30, às 19h.

 

Para mais informações, acesse o site do Sesc

 

João das Neves

Carioca nascido em 1935, João teve especial importância no período de censura no Brasil, quando montou peças de cunho político. Foi um dos fundadores do Grupo Opinião, que durante 16 anos atuou com foco no teatro de protesto, além da difusão da dramaturgia nacional e popular. Acumulou parcerias com autores como Vianinha e Ferreira Gullar. Em 1976, levou aos palcos seu mais conhecido texto, “O último carro”, que lhe rendeu o Prêmio Molière e o Mambembe de Melhor Diretor. Bienal Internacional de São Paulo, APCA, Golfinho de Ouro e Quadrienal de Praga são alguns dos outros prêmios que recebeu. Em 1989, fundou o Grupo Poronga, e, já na década de 1990, estabeleceu-se em Belo Horizonte. Dirigiu, ainda, diversos shows, como de Chico Buarque, Milton Nascimento, Baden Powell e MPB4.

 

Serviço

Trilogia Afro Brasileira: “Besouro cordão de ouro”, “Galanga, Chico Rei!” e “Zumbi”

Quando: De 14 a 30 de novembro

Onde: Sesc Campo Limpo

Rua Nossa Senhora do Bom Conselho, 120 – Jardim São Luís

Tel.: (11) 5510-2700

Grátis

Relacionadas:

Uncategorised | 03/ 11/ 2021

Danilo Dal Lago, artista egresso da SP, estreia peça que contrapõe escritor periférico e mercado editorial

SAIBA MAIS

Uncategorised | 28/ 10/ 2021

Maria Bonomi inaugura obra no Memorial da América Latina que homenageia vítimas da pandemia

SAIBA MAIS

Uncategorised | 01/ 10/ 2021

Festival Satyricine Bijou anuncia vencedores da mostra competitiva e homenageia a atriz e cineasta Helena Ignez

SAIBA MAIS