Série Grandes Dramaturgos: Ariano Suassuna

Publicado em: 17/03/2021

A SP Escola de Teatro  segue em sua série de minibiografias de grandes dramaturgos da história do teatro mundial. São eles que criam as histórias, têm as ideias e dão vida e movimento para os personagens e narrativas que encantam todas e todos que se apaixonam pelas artes do palco.

Série Grandes Dramaturgos: Buchi Emecheta

Na lista, há os célebres e imortais William Shakespeare e Anton Tchekhov, mas também outras mentes brilhantes, mas menos conhecidas do grande público, como Leilah Assumpção e Marta Góes.

Nesta quarta-feira, 17,o homenageado é o brilhante Ariano Suassuna; confira!

Ariano Suassuna

Dramaturgo, poeta, romancista, ensaísta, professor e advogado, Ariano Suassuna nasceu no ano de 1927 em Filipéia de Nossa Senhora das Neves, atual João Pessoa, capital da Paraíba.

Com a revolução de 30, o movimento armado que culminou no fim da República Velha, seu pai, então deputado Federal, foi assassinado por motivos políticos no Rio de Janeiro, fazendo que sua mãe se mudasse com ele e seus oito irmãos para Taperoá, lugar que iniciou seus estudos.

Série Grandes Dramaturgos: Machado de Assis

Mais velho, já em Recife, Ariano concluiu os estudos secundários e ingressou em 1946 na Faculdade de Direito do Recife, hoje a faculdade de Direito da Universidade Federal de Pernambuco, ano em que também se ligou ao grupo de jovens artistas e escritores liderados por Hermilo Borba filho, com quem fundou o Teatro do Estudante Pernambucano. Escreveu sua primeira peça de teatro no ano seguinte, intitulada Uma Mulher Vestida de Sol.

Se formou em 1950, ano que começou a se dedicar a advocacia, porém, sem abandonar o teatro e a escrita.

Em 1989, foi eleito para a cadeira n.º 32 da Academia Brasileira de Letras. Em 1993, foi eleito para a cadeira n.º 18 da Academia Pernambucana de Letras e em 2000, ocupou a cadeira n.º 35 da Academia Paraibana de Letras.

O Auto da Compadecida, O Santo e a Porca e O Romance d’A Pedra do Reino são algumas das muitas obras escritas por esse gênio da literatura nacional, que não poupou esforços para difundir a cultura popular brasileira pelo mundo.

 




Relacionadas:

Notícias | 28/ 09/ 2021

Seminário Cenas Modernas: 1922 e além tem Zé Celso entrevistado por Letícia Coura em encontro nesta quarta, 29

SAIBA MAIS

Notícias | 28/ 09/ 2021

Série Grandes Sonoplastas: Wilson Sukorski

SAIBA MAIS

Notícias | 27/ 09/ 2021

Centenário Paulo Freire: Educação como prática da liberdade, por Ueliton Alves

SAIBA MAIS