Práticas performativas do teatro na mesa de discussão

Publicado em: 03/03/2015

Neste semestre, em que o módulo Azul tem como eixo temático a performatividade e, como operador – ou seja, o modo por meio do qual as técnicas e conteúdos são trabalhados, sendo geralmente um pensador –, a urbanista Raquel Rolnik; o material de trabalho é o projeto “Qual é o seu nome?”, e, finalmente, o pedagogo que serve de referência para os estudos é o coletivo Rimini Protokoll, a Extensão Cultural da SP Escola de Teatro – Centro das Artes do Palco promove, no sábado (7/3) a Mesa de Discussão “Praticas Performativas no Teatro”.

Exclusivamente voltada aos aprendizes do módulo Azul, a mesa contará com a presença de Lili Monteiro (Teatro da Vertigem), Claudia Schapira (Núcleo Bartolomeu de Depoimentos) e Leonardo Moreira (Cia. Hiato), tendo com mediador Matteo Bonfitto, professor do Departamento de Artes Cênicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Matteo Bonfitto, Claudia Schapira, Lili Monteiro e Leonardo Moreira

Matteo Bonfitto é ator, diretor, e pesquisador teatral. Cursou a Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo (EAD/USP). Fez a graduação no DAMS – Departamento de Arte, Música e Espetáculo – da Università degli Studi di Bologna, Itália. É Mestre em Artes pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP), e Ph.D. pela Royal Holloway University of London, Inglaterra. Permanece de 2002 a 2006 na Europa com uma bolsa da Capes desenvolvendo uma pesquisa teórico-prática sobre o trabalho do ator no teatro de Peter Brook. Além do trabalho artístico no teatro profissional, apresentado no Brasil e no exterior, é professor do Departamento de Artes Cênicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Lili Monteiro é integrante do Núcleo do Teatro da Vertigem desde 1998. Formada em Artes Cênicas pela Universidade São Judas, em 1998, em interpretação pelo Teatro Escola Célia Helena e em direção teatral pela Escola Livre de Santo André. Dirige os seguintes espetáculos: “Jardim das Flores Mortas”, de Cynthia Matozinho (1999); “Matadouro”, de Luis Maria Veiga (2000); “Jardim das Cerejeiras”, de Tchecov (2001); “Hamlet”, de William Shakespeare (2001); “Beijo no Asfalto”, de Nelson Rodrigues (2002); e “Crime e Castigo”, adaptação do livro de Dostoievski (2003/2004). Como diretora no núcleo do Teatro da Vertigem, realiza, em abril de 2008, a intervenção pública “A Última Palavra é a Penúltima”, na passagem Xavier de Toledo. Assina a direção do espetáculo “Kastelo”, livre inspiração de “Castelo”, de Franz Kafka, em janeiro de 2010, e atuou como co-diretora de “Bom Retiro 958 metros”, ao lado do diretor Antônio Araújo. É artista convidada da SP Escola de Teatro.

Claudia Schapira é dramaturga, atriz, diretora e figurinista, formada em Rádio e TV pela Faculdade Armando Álvares Penteado (Faap) e em Interpretação pela Escola de Arte Dramática (EAD/ECA/USP). É artista fundadora do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos, onde atua como diretora, dramaturga, atriz–MC e figurinista. Trabalhou com importantes nomes do teatro, como Ulysses Cruz, José Possi Neto, Cibele Forjaz, Luís Melo e Daniela Thomas, e do cinema, como Tata Amaral, Fabrizia Pinto e Fernando Meireles. Ao longo de sua carreira foi premiada por seus textos (prêmio Femsa/Cola-Cola 2009, prêmio Pananco/Coca-Cola 2001, prêmio cooperativa 2008) e figurinos (Prêmio Shell 2005, Prêmio Mambembe 1995).

Leonardo Moreira é bacharel em Artes Cênicas formado pela Universidade de São Paulo (ECA/USP). Mestre em Dramaturgia, também pela ECA/USP, estuda as formas de dramaturgia contemporânea e seus procedimentos criativos. Em 2007, tem seu primeiro texto, “Bagagem”, premiado pelo Projeto Seleção Brasil em Cena – Novos Talentos da Dramaturgia Brasileira, realizado pelo Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro. Nesse mesmo ano, seu texto “Anônimos” é encenado, com direção de Beth Lopes, com o apoio do Prêmio Myriam Muniz de Teatro. Em 2008, junto à Cia. Hiato, escreve e dirige o espetáculo “Cachorro Morto”. Em 2009, escreve e dirige “Escuro”, também em parceria com a Cia. Hiato. Com o texto de “Escuro”, vence o Prêmio Estímulo a Novos Textos da Secretaria de Cultura de São Paulo 2009 e é indicado ao Prêmio Cooperativa de Teatro 2009 – Melhor Autor Teatral. O espetáculo recebe também cinco indicações ao Prêmio Shell de Teatro 2010 – incluindo Melhor Autor e Melhor Diretor.

Serviço:

Mesa de Discussão “Praticas Performativas no Teatro”

Quando: Sábado(7/3) – das 10h às 12h30
Onde: SP Escola de Teatro – Sede Marquês
Rua Marquês de Itu, 273

 

Relacionadas:

Uncategorised | 03/ 11/ 2021

Danilo Dal Lago, artista egresso da SP, estreia peça que contrapõe escritor periférico e mercado editorial

SAIBA MAIS

Uncategorised | 28/ 10/ 2021

Maria Bonomi inaugura obra no Memorial da América Latina que homenageia vítimas da pandemia

SAIBA MAIS

Uncategorised | 01/ 10/ 2021

Festival Satyricine Bijou anuncia vencedores da mostra competitiva e homenageia a atriz e cineasta Helena Ignez

SAIBA MAIS