‘Por acaso, navalha’ da Cia. Caxote estreia Espaço Mínimo

Publicado em: 15/05/2014

“Navalha na carne”, célebre peça de Plínio Marcos, norteia “Por acaso, navalha”, espetáculo da Cia. Caxote que está em cartaz em sua sede, o Espaço Mínimo, com direção de Fernando Aveiro – que por seis anos trabalhou como ator no CPT de Antunes Filho.

 

O trabalho é o primeiro do grupo no cenário paulistano e também marca a inauguração do espaço, que é dividido com outras duas companhias (ExCompanhia de Teatro e Via Certa Teatral). No elenco, estão Murilo Inforsato, Humberto Caligari e Bárbara Salomé, que é aprendiz egressa do curso de Humor da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco. 

 

Na trama, a prostituta Neusa Sueli chega de mais uma jornada de trabalho na rua e é surpreendida pelas ofensas e acusações de seu cafetão e amante Vado, que reclama pela falta do dinheiro que ela deixa diariamente em seu criado mudo. Neusa, então, passa a desconfiar de Veludo, que é responsável pela limpeza da pensão em que moram, e se transforma numa navalha afiada em meio à pressão pela verdade.

 

Para a montagem, o diretor Aveiro propôs uma instalação que ocupa todo o espaço, rompendo a divisão entre palco e plateia. O público tem a opção de escolher onde ficar – cada lugar oferece um ponto de vista diferente. Cada sessão é limitada a 20 pessoas.

 

Segundo a atriz e palhaça Bárbara, que na peça vive Neusa Sueli, o processo de construção da personagem passou pela compreensão e sensibilização da questão humana da prostituta. “Percebi que eu conhecia muitas Neusas, mulheres gastas por uma vida que não queriam. Então me perguntei: ‘Se alguém é sensível e vive numa situação muito difícil, em um ambiente muito duro, o que essa pessoa faz para sobreviver?’ e escolhi a imaginação, o sonho como refúgio para a Neusa”, comenta.

 

Só depois dessa imersão ela passou a pesquisar a profissão, indo a lugares em que ela é praticada, observando e vendo documentários e filmes. “Juntei tudo isso à minha experiência de palhaça e criei a minha Neusa.”

 

Para Bárbara, a proximidade com o público é um fator chave do espetáculo e exige dos atores uma grande presença e jogo. “Não tem coxia, não tem fuga, estamos expostos a toda hora. Dá um pouco de medo, mas é delicioso!”, arremata.

 

Espaço Mínimo

Com capacidade para 25 pessoas, a sala multiuso do Espaço Mínimo está aberta para receber artistas qu estejam à procura de um espaço intimista para ensaios e apresentações.

 

Ficha técnica

Bárbara Salomé – Atriz (Neusa Sueli)

Murilo Inforsato – Ator (Vado)

Humberto Caligari – Ator (Veludo) e produtor executivo

Fernando Aveiro – Diretor e idealizador

Camila Biondan – Assistente de direção e produtora geral

Rosângela Ribeiro – Diretora de arte

Pedro Farled – Artista plástico

 

Serviço

“Por acaso, navalha”

Quando: Sábados, às 21h, domingos, às 19h e segundas, às 21h (até 04/08)

Onde: Espaço Mínimo

Rua Barão do Bananal, 854 – Vila Pompeia

Tel.: (11) 9 74190259

Duração: 55 minutos 

Recomendação: 16 anos

Ingresso: R$ 30 (reservas pelo tel ou pelo e-mail contatocaxote@gmail.com)

 

Texto: Felipe Del