Ponto | Teatro cego

Publicado em: 03/06/2014

Um teatro onde nada é para ser visto, apenas sentido – com os outros quatro sentidos. Literalmente. Assim é o Centro Argentino de Teatro Cego, em Buenos Aires, considerado o primeiro (e, até agora, único) palco do mundo a apresentar espetáculos exclusivamente no escuro. Os espectadores são convidados a se deixar levar pelas outras sensações exploradas pelos atores, como cheiros, sabores.

 

Fundado em julho de 2008 por Martin Bondone e Gerardo Bentatti, o teatro conta com quase 70 profissionais, mais da metade deles cegos, além de uma escola em que se desenvolve a técnica do teatro cego em aulas como de tango e atividades gratuitas para deficientes visuais – todas ministradas às escuras. A proposta é gerar acessos e, ao mesmo tempo, capacitar os atores cegos.

 

Algumas opções de peças são “A ciegas gourmet”, espetáculo musical dedicado especialmente aos apaixonados por teatro e gastronomia. Na montagem, que se passa num típico bar da capital, mostrando um pouco da história da cidade argentina, o público ganha um saboroso jantar (que é servido em um espeto para que a ausência de luz não atrapalhe na refeição).

 

“Luces de libertad”, por sua vez, mergulha mais fundo na história e retorna a 1810 para tratar sobre a queda do vice-reinado do Rio da Prata, utilizando para isso célebres personagens argentinos do século XX, como o revolucionário Che Guevara, o ex-presidente Juan Domingo Perón e o escritor Rodolfo Walsh. 

 

Escrita em 2010, a peça foi feita como homenagem ao bicentenário da Argentina. Um dos espetáculos mais renomados da cidade, tem no elenco atores que enxergam e cegos, diferentemente das outras, nas quais sobem ao palco apenas atores cegos.

 

O teatro, que começou em 2008 com apenas uma obra em cartaz, passou a ter três, em 2009; quatro, em 2010, e hoje apresenta aos turistas e moradores oito trabalhos especiais.

 

Texto: Felipe Del

Relacionadas:

Ponto | 14/ 07/ 2015

Ponto | Regras para montar um currículo de ator

SAIBA MAIS

Ponto | 30/ 06/ 2015

Ponto | O nu coletivo no teatro brasileiro

SAIBA MAIS

Ponto | 23/ 06/ 2015

Ponto | Pequena biblioteca para atores

SAIBA MAIS