Ponto | Picasso e o teatro

Publicado em: 08/04/2014

Pablo Diego José Francisco de Paula Juan Nepomuceno María de los Remedios Cipriano de la Santísima Trinidad Ruiz y Picasso. O nome completo do espanhol Pablo Picasso (1881-1973) é tão grande quanto sua importância para o mundo das artes.

 

Hoje, dia 8 de abril, completam-se 41 anos sem este mestre das artes. 

 

Reconhecido em todo o mundo por seu inovador trabalho como pintor, escultor e desenhista, foi responsável por apontar novos caminhos para a arte e tornou-se um dos mais respeitados artistas do século XX.

 

Nada disso, claro, é novidade. No entanto, poucos sabem que ele também se arriscava na poesia. De início, alguns de seus trabalhos foram reunidos em antologias de poemas surrealistas. Depois, em 1961, foi publicado, na Espanha, o livro “Trozo de piel”, contendo alguns de seus poemas, descobertos pelo Prêmio Nobel da Literatura Camilo José Cela. Até que, em 1979, a editora Gallimard publicou uma edição completa de suas obras poéticas em “Picasso écrite”.

 

Entretanto, talvez a mais desconhecida de suas facetas artísticas seja a do palco. Sim, Pablo Picasso também dedicou parte de sua trajetória ao teatro, assinando três peças: a primeira (e principal) delas é “Le Désir Attrapé Par la Queue” (“O desejo pego pelo rabo”), de 1941; depois, vieram “Les quatre petites filles”  (“As quatro meninas”), em 1947; e “L’Enterrement du Comte D’Orgaz” (“O enterro do Conde de Orgaz”), em 1950.

 

O maior painel em tecido do mundo pintado por Pablo Picasso, especialmente para um espetáculo de balé russo, em 1924

 

Outra contribuição do artista às artes do palco aconteceu em 1924, quando criou o maior painel em tecido já feito, que foi utilizado como cenografia de uma apresentação de balé russo.

 

Homenagens no Brasil

Picasso morreu em 8 de abril de 1973, em Mougins, França, e está sepultado no Castelo de Vauvenargues, mas sua obra permanece viva e influente até hoje. Por aqui, no Brasil, vários foram os espetáculos feitos em sua homenagem. Em 2009, a Royale Escola de Dança o homenageou com “O mundo diverso e singular de Pablo Picasso”, um espetáculo de dança que retratava sua vida e obra.

 

No ano seguinte, o grupo Barraquatro também dedicou um trabalho ao espanhol, apresentando uma encenação de “O desejo pego pelo rabo”. Já em 2012, Marcelo Romagnoli dirigiu o infantil “O menino que mordeu Picasso”.

 

Texto: Felipe Del

Relacionadas:

Ponto | 14/ 07/ 2015

Ponto | Regras para montar um currículo de ator

SAIBA MAIS

Ponto | 30/ 06/ 2015

Ponto | O nu coletivo no teatro brasileiro

SAIBA MAIS

Ponto | 23/ 06/ 2015

Ponto | Pequena biblioteca para atores

SAIBA MAIS