Ponto | Memória Brechtiana

Publicado em: 14/08/2012

14 de agosto de 1956. Há exatos 56 anos, morria um dos maiores nomes do teatro mundial, Eugen Berthold Friedrich Brecht. Alemão nascido em Augsburg, o estudante de medicina e enfermeiro na 1ª Guerra Mundial tornou-se dramaturgo e diretor, além de desenvolver o conceito de Teatro Épico e transformar a visão das Artes Cênicas.

 

Brecht começou sua carreira, em 1924, como assistente dos conhecidos diretores Max Reinhardt e Erwin Piscato, no Deustches Theater. Em 1928, obteve sucesso com “A Ópera dos Três Vinténs”, em parceria com o compositor Kurt Weill.

 

O Teatro Épico desenvolvido por Brecht tem raízes nos conceitos de Piscator e do ator e diretor Vsévolod Emilevitch Meyerhold. A proposta trabalha com o “efeito de distanciamento”, que estimulava o senso crítico do espectador, além de uma narração não-linear e a razão em oposição ao sentimento do teatro dramático.

 

Em 1920, Brecht torna-se marxista e passa a questionar as relações humanas no sistema capitalista. Entre suas principais obras, estão: “Um Homem É um Homem”, “Mãe Coragem e Seus Filhos” e “A Vida de Galileu”.

 

Em homenagem a Brecht, o portal da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco garimpou 14 frases de obras e textos do dramaturgo. Eis:

 

“Quem não está disposto a estudar não deve ensinar, o professor deve ensinar a estudar.”

 

“As revoluções se produzem nos becos sem saída.”

 

“Há momentos em que se tem de escolher entre ser humano e ter bom gosto.”

 

“O que é assaltar um banco, comparado com fundar um banco?”

 

“Um homem deve ter pelo menos dois vícios. Um só é demasiado.”

 

“Para quem tem uma boa posição social, falar de comida é coisa baixa. É compreensível; eles já comeram.”

 

“De todas as coisas seguras, a mais segura é a dúvida.”

 

“Do rio que tudo arrasta, diz-se que é violento. Mas ninguém chama violentas às margens que o comprimem.”

 

“Todas as artes contribuem para a maior de todas as artes, a arte de viver.”

 

“Um homem tem sempre medo de uma mulher que o ame muito.”

 

“Perante um obstáculo, a linha mais curta entre dois pontos pode ser a curva.”

 

“Muitos juízes são absolutamente incorruptíveis; ninguém consegue induzi-los a fazer justiça.”

 

“A ambição da ciência não é abrir a porta do saber infinito, mas por um limite ao erro infinito.”

 

“Pergunte sempre a cada ideia: a quem serves?”.

 

 

Texto: Leandro Nunes

Relacionadas:

Uncategorised | 14/ 07/ 2015

Ponto | Regras para montar um currículo de ator

SAIBA MAIS

Uncategorised | 30/ 06/ 2015

Ponto | O nu coletivo no teatro brasileiro

SAIBA MAIS

Uncategorised | 23/ 06/ 2015

Ponto | Pequena biblioteca para atores

SAIBA MAIS