Ponto | Macbeth

Publicado em: 16/11/2010

Você acredita em superstições? É daquelas pessoas que se benzem ao cruzar com um gato preto na rua ou do tipo que não passa embaixo de escadas? Então, prepare-se, pois vai ganhar mais uma razão para temer. E uma razão das boas, afinal, é uma maldição vinda de um texto de um dos maiores poetas e dramaturgos do mundo: William Shakespeare.
 

Esse escritor, que ficou mundialmente famoso por suas peças como “Romeu e Julieta”, “Hamlet” e “Sonho de Uma Noite de Verão” e se dedicava a dramas históricos, comédias e tragédias, criou, entre os anos 1603 e 1607, uma peça cujo nome muitos têm até medo de pronunciar.
 

Estamos falando de “Macbeth”, uma tragédia que fala sobre o regicídio e suas consequências. No enredo, a personagem de Macbeth, passa várias noites em claro, depois de assassinar o rei Duncan (estimulado por sua esposa, Lady Macbeth que, por sua vez, é sonâmbula). Na sequência, o assassino é tomado pela ideia de que seu crime será descoberto a qualquer momento e, ao mesmo tempo, se revela cruel e insano, conforme aceita a profecia de Charneca, umas das três bruxas da tragédia.
 

“Macbeth” é tido como um texto amaldiçoado, uma vez que a peça é envolta em uma atmosfera muito sombria. Conta a lenda que, toda a vez que essa peça é encenada, algum acidente acontece com o ator, o diretor ou alguém da área técnica. Acidentes como quebrar a perna, se cortar, ou, até mesmo, cair de cama em um hospital. E, para muitos, apenas pronunciar o nome da peça já basta para algo ruim acontecer e a maldição se concretizar.
 

Em alguns países como África do Sul, Austrália, Canadá, Estados Unidos, Grã-Bretanha, Nova Zelândia e Jamaica essa crença é muito forte. E não é só no meio artístico que a lenda ou maldição impõe seus efeitos. Até a medicina, acreditem, se apropriou da crença e batizou com o nome da peça um transtorno do sono. Na Grã Bretanha, pesquisadores apelidaram a insônia crônica de “a maldição de Macbeth”, afinal, quem sofre dessa doença está até cinco vezes mais propenso a ter pensamentos paranóicos,  em comparação às pessoas que dormem bem, segundo estudo feito no King’s College, de Londres.
 

“Macbeth” é considerada uma das mais curtas e mais horripilantes peças teatrais e é muito comum artistas, de todo o mundo, se referirem  a ela como “a peça”, “aquela”, “a tragédia inominável” ou “a peça escocesa”. Afinal, antes prevenir do que remediar.

Porém, fica uma questão: ler e escrever sobre essa palavra também traz a maldição? Se sim, logo saberemos. De qualquer forma, Merda para todos.

Relacionadas:

Ponto | 14/ 07/ 2015

Ponto | Regras para montar um currículo de ator

SAIBA MAIS

Ponto | 30/ 06/ 2015

Ponto | O nu coletivo no teatro brasileiro

SAIBA MAIS

Ponto | 23/ 06/ 2015

Ponto | Pequena biblioteca para atores

SAIBA MAIS