Ponto | Evoé!

Publicado em: 11/03/2014

Qualquer um que estude, faça ou frequente o teatro já escutou alguém soltando a interjeição “Evoé!” como forma de expressar alegria e entusiasmo, especialmente em assuntos relacionados ao teatro.

 

Mas, e além de ser um grito de felicidade e empolgação, o que mais representa essa saudação?

 

“Evoé!” era o que gritavam os participantes dos bacanais como forma de invocar Baco (ou Dioniso, para os gregos), deus do vinho e das festas. As bacantes – ou mênades, mulheres devotas do deus – entoavam “Evoi! Evoi!”. Assim, brindes e gritos permeavam essas orgias ritualísticas.

 

A juventude de Baco, em pintura de William Adolphe Bouguereau

 

O termo também tem grande valor simbólibo para o carnaval – festividade que também tem suas raízes associadas ao culto de Dioniso. 

 

Para situar melhor o leitor, aí vai um trecho da tragédia “As bacantes”, de Eurípedes, que também foi encenada no Brasil, por Zé Celso e seu Teatro Oficina: 

 

“Entre gritos de Evoé, ele clama: 

Ide, Bacantes!

No esplendor do Tmolo que rola torrentes de ouro,

celebrai a Dioniso

pelo rufar dos tamboris,

glorificando o deus Evoé com Evoés,

em gritos estridentes ao modo frígio, quando o sacro loto de melodioso tom

fizer ecoar os sacros acordes dos folguedos, em uníssono

c’os espíritos alucinados, para a montanha, para a montanha!

Então, plena de deleite, como a poldra que com a mãe

vai pascer, a Bacante seus pés velozes em saltos agita…”

Relacionadas:

Ponto | 14/ 07/ 2015

Ponto | Regras para montar um currículo de ator

SAIBA MAIS

Ponto | 30/ 06/ 2015

Ponto | O nu coletivo no teatro brasileiro

SAIBA MAIS

Ponto | 23/ 06/ 2015

Ponto | Pequena biblioteca para atores

SAIBA MAIS