Papo de Teatro com Iacov Hillel

Publicado em: 12/09/2011

Iacov Hillel é diretor, iluminador e professor da EAD/ECA/USP

 

Iacov Hillel (Foto:Marlene Bergamo/Folhapress)

 

Como surgiu o seu amor pelo teatro?
Desde a criança brincando de teatro no jardim de infância
 

Lembra da primeira peça a que assistiu? Como foi?
A primeira peça que lembro ter visto foi “Pluft, o Fantasminha”, aos 5 ou 6 anos de idade, no Teatro Leopoldo Fróes, e achar que eu deveria estar fazendo teatro porque já sabia como era para ser feito
 

Um espetáculo que mudou o seu modo de ver o teatro.
São tantos que neste momento… lembrar de alguns será esquecer de outros. “Morte e Vida Severina” do Tuca, grupo que depois passei a integrar…  As peças do teatro de Arena, do Teatro Oficina … Os espetáculos de Maria Esther Stockler – “Rito do Amor Selvagem”;  os espetáculos de Victor Garcia – “Cemitério de Automóveis” e  “O Balcão”. E muitos outros… Os Dzi Croquettes
 

Um espetáculo que mudou a sua vida.
Quando eu tinha uns 8 ou 9 anos, havia uma programação no Teatro Municipal de São Paulo chamada Concertos Mercedes-Benz, todos os domingos às 10 horas da manhã, que era transmitida ao vivo pela extinta TV Tupi Canal 3. Era a programação que o teatro apresentava durante a semana – com ingressos gratuitos aos domingos – meu pai me levava a todos eles e portanto os grandes concertos, as grandes operas, os grandes balés… Assisti a tudo isto muito jovem e isto veio a ser a minha iniciação artística e cada um deles ficou impregnado em minha memória. E forjou meu gosto. 
 

Você teve algum padrinho no teatro? Se sim, quem?
Não tive padrinhos mas tive grandes mestres – Eugenio Kusnet, com quem tive aulas dos 16 aos 21 anos, Flávio Rangel, de quem fui assistente em “A Capital Federal”, Fernado Arrabal, com quem trabalhei  em “Torre de Babel”,  Jacó Guinsburg, meu professor na ECA junto de Sábato Magaldi, Marilena Ansaldi,  grande mestra de dança, que dirigi anos depois, Myriam Muniz, amiga de muitos anos, e tantos outros que aqui seria uma injustiça esquecer deles
 

Já saiu no meio de um espetáculo? Por quê?
Fico muito constrangido quando um espetáculo não é bom, quando assistimos mais ao esforço dos atores para alcançarem algo, do que a plena realização da obra artística – minha paciência é curta, e acho que não devemos constranger o espectador de forma alguma. 
 

Teatro ou cinema? Por quê?
Teatro, cinema, óperas etc
 

Cite um espetáculo do qual você gostaria de ter participado. E por quê?
Não lembro.
 

Já assistiu mais de uma vez a um mesmo espetáculo? E por quê?
Sim, um filme: “Avatar”, pelo avanço tecnológico
 

Qual dramaturgo brasileiro você mais admira? E estrangeiro? Explique.
Nelson Rodrigues e tantos outros.
 

Qual companhia brasileira você mais admira?
Todas.
 

Existe um artista ou grupo de teatro do qual você acompanhe todos os trabalhos?
Não, não há tempo para acompanhar a todos.

Qual gênero teatral você mais aprecia?
Todos.

Em qual lugar da plateia você gosta de sentar?
No fundo, para ter ideia da reação da platéia.

Qual o pior lugar em que você já se sentou em um teatro?
Na frente, no garagarejo,  na fila do perdigoto, onde sou visto e algumas vezes reconhecido pelos amigos.

Fale sobre o melhor e o pior espaço teatral que você já foi ou já trabalhou?
O pior lugar é aquele em que o espectador deve compactuar com invecionices do grupo ou do encenador, onde ele se senta desconfortavelmente, enxerga parcial ou escuta mal,  e/ou é molhado ou respingado de porcarias,  e ainda exigem que ele pague pelo ingresso!!!

Existe peça ruim ou o encenador é que se equivocou?
Diz um velho ditado que o sucesso é mérito dos atores e o fracasso é culpa do diretor!!!
Como seria, onde se passaria e com quem seria o espetáculo dos seus sonhos?
Como diria a Fernanda Montenegro: teatro não dá muito futuro, mas dá um passaaaaado!!!
 

Cite um cenário surpreendente.
 (silêncio)

Cite uma iluminação surpreendente.
 (silêncio)

Cite um ator que surpreendeu suas expectativas.
(silêncio)

O que não é teatro?
 (silêncio)

A ideia de que tudo é válido na arte cabe no teatro?
 (silêncio)

Na era da tecnologia, qual é o futuro do teatro?
 (silêncio)

Em sua biblioteca não podem faltar quais peças de teatro?
 (silêncio)

Cite um diretor (a), um autor (a) e um ator/atriz que você admira.
 (silêncio)

Qual o papel da sua vida?
 (silêncio)

O teatro está vivo?
 Sempre.

 

Relacionadas:

Uncategorised | 16/ 12/ 2021

16 de dezembro é dia do Teatro Amador: Conheça mais sobre essa importante prática cultural brasileira!

SAIBA MAIS

Notícias | 03/ 11/ 2021

Danilo Dal Lago, artista egresso da SP, estreia peça que contrapõe escritor periférico e mercado editorial

SAIBA MAIS

Notícias | 28/ 10/ 2021

Maria Bonomi inaugura obra no Memorial da América Latina que homenageia vítimas da pandemia

SAIBA MAIS