Papo de Teatro com Clarisse Abujamra

Publicado em: 17/09/2012

 

Clarisse Abujamra, a entrevistada de hoje da seção Papo de Teatro

 

Clarisse Abujamra é atriz

Como surgiu o seu amor pelo teatro?
Desde sempre. Comecei muito nova, ainda criança, na dança, e nunca mais parei.


Lembra da primeira peça a que assistiu? 
Não.

Um espetáculo que mudou a sua vida foi… 
“As Nove Partes do Desejo”, de Heather Raffo.


Um espetáculo que mudou o seu modo de ver teatro foi…
“As Fúrias”, dirigida por Antônio Abujamra.


Você teve algum padrinho no teatro? 
Eu diria que foi
Yolanda Cardoso… Ela olhou pra mim e disse: “Essa menina vai ser atriz”.

Já saiu no meio de um espetáculo? 
Já. Porque estava exausta e a peça não me interessou.


Teatro ou cinema? 
Como atriz, busco sempre a personagem, a melhor, seja no teatro na TV ou no cinema. Como espectadora, tanto faz.


Cite um espetáculo do qual você gostaria de ter participado. E por quê? 
“Pina”, porque essa é minha única frustração como interprete: a de não ter passado um ano na companhia de Pina (Bausch).


Já assistiu mais de uma vez a um mesmo espetáculo? E por quê? 
Muitas vezes. Regra geral, por estar envolvida na produção ou com os intérpretes.


Qual dramaturgo brasileiro você mais admira? E estrangeiro?
A lista é grande… bem grande.

Qual companhia brasileira você mais admira?
Cia.?

Existe um artista ou grupo de teatro que você acompanhe todos os trabalhos?
Tento ver o maior número possível de peças, mas às vezes perco muita coisa boa…


Qual gênero teatral você mais aprecia? 
Qualquer um que seja bom!


Em qual lugar da plateia você gosta de sentar? Qual o pior lugar em que você já se sentou em um teatro?
Do meio para trás. Porque tenho a visão do todo. Nunca sentei na primeira fila, mas acredito ser o pior dos lugares.


Existe peça ruim ou o encenador é que se equivocou? 
Existe peça ruim, sim.

Como seria, onde se passaria e com quem seria o espetáculo dos seus sonhos?
Não sonho.

Cite um cenário surpreendente.
Os da Daniela Thomas.

Cite uma Iluminação surpreendente. 

As do Marcio Aurelio.


O que não é teatro? 
?

A ideia de que tudo é válido na arte cabe no teatro? 
O importante é a qualidade.

Na era da tecnologia, qual é o futuro do teatro? 
Desde Shakespeare, o teatro está em crise, mas resiste. Temo pelo seu fim, ou por uma transformação radical… que não sei qual será.


Em sua biblioteca, não podem faltar quais peças de teatro?
Os clássicos.

Cite um diretor (a), um autor (a) e um ator/atriz que você admira.
Impossível. Muitos vêm à minha cabeça.

Qual o papel da sua vida?
O que já fiz em “As Nove Partes do Desejo”.

Uma pergunta para William Shakespeare, Nelson Rodrigues, Bertold Brecht ou algum outro autor ou personalidade teatral que você admire.

Para Shakespeare: “Dá pra voltar?”. Para
Nelson Rodrigues: “Alguma vez achou um texto seu, simples de ser interpretado?”.

O teatro está vivo?
Está, mas respira com aparelhos.

 

Relacionadas:

Uncategorised | 16/ 12/ 2021

16 de dezembro é dia do Teatro Amador: Conheça mais sobre essa importante prática cultural brasileira!

SAIBA MAIS

Notícias | 03/ 11/ 2021

Danilo Dal Lago, artista egresso da SP, estreia peça que contrapõe escritor periférico e mercado editorial

SAIBA MAIS

Notícias | 28/ 10/ 2021

Maria Bonomi inaugura obra no Memorial da América Latina que homenageia vítimas da pandemia

SAIBA MAIS