Pajuball em Casa promete festa LGBTQIA+ online nesta sexta

Publicado em: 23/07/2020

A festa online Pajuball em Casa realiza sua segunda edição nesta sexta, 24 de julho. O evento mistura a cultura Ballroom e o dialeto pajubá e tem como foco a comunidade LGBTQIA+.

A programação da noite começa às 21h, com a live Histórias pretas na Ballroom, com participação da educadora criativa e modelo carioca Jacqueline Ayo e mediação de Rhany Mercês, Miss Minas Gerais Trans Plus Size 2020.

Às 21h30, terá início uma Festa Amem online que funcionará como um baile voguing virtual. Estão agendados show de MC Billa Domitila Mutatis Zion, sets des DJs Lorrany (SP) e Orí (DF), além de performances de voguing de Edson Vogue (PE), Yagaga Kengaral Revlon (CE) e Brunessa Candace Zion (SP).

A festa acontecerá no aplicativo Zoom via Sympla. Toda a receita arrecadada com a venda de ingressos será repassada ao #AmemEmCasa, projeto criado pelo Coletivo Amem para ajudar pessoas negras LGBTQIA+ em tempos de isolamento social.

Os organizadores informam que, além disso, será disponibilizado pela Casa um lote de ingressos gratuitos para quem quiser participar, mas estiver sem condições de contribuir financeiramente. A ação também incentiva a circulação de renda entre artistas independentes que estão em busca de plataformas para seguir realizando seus trabalhos.

Compre seu ingresso neste link.

O Pajuball Em Casa começou no mês passado através de parceria entre a Casa e os artistas e produtores Flip Couto e Félix Pimenta, membros do Coletivo Amem e dois dos principais movimentadores da cena ballroom em São Paulo.

As Balls são bailes que surgiram em meados dos anos 60, realizados pela comunidade LGBTQIA+ negra e latina de Nova York, dando origem à cultura House Ballroom, que traz em sua essência possibilidades de performances baseada em identidades de gênero, raça e sexualidade.

Os bailes trazem ainda competições de moda, dança e música centradas no voguing, dança baseada nas poses das modelos da revista Vogue. Já o Pajubá, que também nomeio o evento, é uma linguagem em códigos criada pela comunidade LGBTQIA+ como uma forma de resistência e comunicação que utiliza termos de origem nagô e iorubá.

https://www.instagram.com/p/CC3n-MYKTra/?utm_source=ig_web_copy_link

CULTURA EM CASA

Assim como outros equipamentos, a SP Escola de Teatro criou uma programação especial na internet para oferecer ao seus seguidores. Assim, está disponível uma série de conteúdos multimídia, como vídeos de espetáculos e de palestras e bate-papos de nomes como as atrizes Fernanda Montenegro, Nathalia Timberg e Denise Fraga, a monja Coen, a escritora Adélia Prado e o pastor Henrique Vieira, além de cursos gratuitos a distância.

O acervo ainda inclui filmes produzidos pela Escola Livre de Audiovisual (ELA) – iniciativa da Associação dos Artistas Amigos da Praça (Adaap), gestora da SP Escola de Teatro – em parceria com instituições internacionais, com a Universidade das Artes de Estocolmo (Suécia).

#culturaemcasa #teatroemcasa

 




Relacionadas:

Notícias | 20/ 10/ 2021

SP Escola de Teatro convoca refugiados para vagas exclusivas no curso técnico

SAIBA MAIS

Notícias | 20/ 10/ 2021

Paulina Chiziane, escritora moçambicana, vence a 33.ª edição do Prêmio Camões de Literatura

SAIBA MAIS

Notícias | 20/ 10/ 2021

Série Grandes Atrizes: Fernanda Montenegro

SAIBA MAIS