EN | ES

Estudantes, colaboradores e convidados participam de debate após exibição do curta Corre Menino, sobre necropolítica

Publicado em: 24/05/2022

O Cineclube Alma no Olho exibiu na última segunda-feira, 23, o filme Corre Menino, de Willi Vérsi, estudante egresso de dramaturgia da instituição. O curta é um trabalho cênico adaptado à estrutura cinematográfica e, dentre outros temas, aborda a presença e resistência do corpo negro e periférico no Brasil atual. Após a exibição, um debate reuniu estudantes, a equipe do filme, colaboradores da SP Escola de Teatro e um público de fora da instituição que se interessou pela iniciativa.

Nova edição do projeto Tendas da Cidadania, direcionado à crianças imigrantes da região do Brás, acontece na SP no sábado (28)

Marcaram presença no encontro João Rodrigo, analista de projetos do Programa Oportunidades, Camila Araújo, Bibliotecária da instituição, e boa parte da equipe de Corre Menino, como Manuel Victor, estudante de dramaturgia da SP que está no elenco, o diretor e dramaturgo Will Versí e André Sampaio Thobias, o MC Santho, responsável pela trilha sonora.

“O encontro foi muito bacana pois atraiu pessoas de fora da comunidade da SP, que não são alunos, enriquecendo o debate, que foi muito interessante. A equipe do filme também relatou o desafio de transformar uma peça de teatro em uma experiência cinematográfica em meio à pandemia, já que o curta foi gravado em 2020”, comenta o analista.

O projeto é resultado de um processo de estudos feitos na Instituição por Will, que após pesquisar sobre o assassinato de Douglas Rodrigues, adolescente de 17 anos que foi morto por um Policial Militar em 2013, na zona norte paulistana, se sentiu desafiado a criar uma dramaturgia com a temática.

Adoção da cadela Cacilda, a mascote da SP Escola de Teatro, completa 12 anos; relembre momentos marcantes!

“Escrever Corre Menino foi ao mesmo tempo terrível e libertador. Há nessa questão da necropolítica um chamado de urgência, e por mais que essa investigação seja dolorosa, não vejo possibilidade de minha pesquisa dramatúrgica se voltar para outro tema tão cedo. Jovens periféricos sofrem violências diversas e a da polícia, mesmo sendo a mais letal, é só um dos problemas que temos de enfrentar. A peça nasce desta vontade de não nos deixar matar, de não deixar nosso pensamento e nossa filosofia morrer, porque sim, nós pensamos, criamos e temos capacidade para propor melhorias sociais para nossas comunidades”, contextualiza o dramaturgo, que teve a ideia para o texto na época em que era bolsista do Programa Oportunidades.

O cineclube Alma dos Olhos é uma iniciativa da Biblioteca da SP Escola de Teatro e do Programa Oportunidades e acontecem quinzenalmente na sede Roosevelt da instituição, sempre segunda-feira às 20h.

Manuel Victor em cena de Corre Menino




Relacionadas:

Notícias | 07/ 07/ 2022

Dramaturgia criada por estudante durante curso de extensão da SP estreia em julho no RJ

SAIBA MAIS

Notícias | 06/ 07/ 2022

Louise Azevedo, artista egressa da SP, celebra publicação de seu texto dramático ‘Apartamento’, pela editora Urutau

SAIBA MAIS

Notícias | 06/ 07/ 2022

Processo Seletivo 2/2022: Confira os aprovados para turmas do 2º semestre de 2022

SAIBA MAIS