EN | ES

Ensaio em Inglês de Rodolfo García Vázquez, coordenador de direção, é publicado em livro do Alexandria Nova, intercâmbio que reúne a SP e universidades europeias

Publicado em: 09/05/2022

Rodolfo García Vázquez, coordenador de direção da SP Escola de Teatro, publicou o ensaio The Decolonial Directing Approach (A abordagem Decolonial na Direção, tradução livre) no livro Looking for direction : rethinking theatre directing practices and pedagogies in the 21st century (Um Olhar para a direção: repensando as práticas e pedagogias de direção teatral no século XXI), que será lançado oficialmente nesta semana no Theatertreffen, maior festival de teatro em língua alemã do mundo, sediado em Berlim.

A obra reúne textos de 17 professores e diretores de teatro que repensaram o ofício sob a luz do século XXI, assim como seus consequentes desafios e inovações. Nessa conjuntura, foram apresentadas novas linguagens, abordagens e pensamentos alinhados com as necessidades do momento atual, mas sem abandonar tradições ainda imprescindíveis para o trabalho de diretor.

Inscrições abertas para workshop presencial e gratuito A Plástica Cênica

O livro é resultado das pesquisas e investigações realizadas pelo projeto de intercâmbio Alexandria Nova, do programa Erasmus, que a instituição integra desde 2019. Nele, estudantes brasileiros de direção da SP Escola de Teatro se reúnem em encontros virtuais e presenciais com artistas, alunos e professores de faculdades da Alemanha, Lituânia, Islândia, Noruega, Suécia e Finlândia. A escola brasileira é a única instituição de fora da Europa no mundo a ser convidada.

Em seu artigo, Rodolfo rememora a formação do Satyros em 1989, cia. teatral fundada por ele e Ivam Cabral, diretor executivo da SP. Desde seu início a companhia trabalha com populações marginalizadas, como pessoas trans e ex-presidiários, tanto no elenco como na parte técnica de suas produções. Tal característica é uma marca registrada do coletivo, cuja atuação também foi fundamental na revitalização da Praça Roosevelt.

Cineclube SP Alma no Olho estreia na sede Roosevelt com curta sobre suicídio entre as pessoas trans

Dentre temas diversos, o diretor traz um panorama do teatro paulistano e de importantes expoentes da arte na cidade, como Gianfrancesco Guarnieri e Augosto Boal no Teatro de Arena e Zé Celso e Renato Borghi no Teatro Oficina. Além disso, apresenta sua abordagem sobre teatro decolonial, baseada na prática e teoria aplicada ao longo dos seus últimos 33 anos de trabalho no Satyros.

“No texto, discuti o que é decoloniedade e porque ela é importante para o pensamento sobre direção teatral na atualidade. A partir disso, discuti questões de gênero, raça, classe social e a relação entre colonizador e colonizado, assim como empoderamento de grupos vulneráveis no processo criativo teatral, que fazemos desde o início do Satyros”, comenta Rodolfo.

O tema também é a base de estudo do artista em seu doutorado na Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP).

Nesta semana, Rodolfo, Ivam e os estudantes de direção da SP Escola de Teatro, Mauro Gil e Dennis Zapater, participam, em Berlim, de workshops, palestras e apresentações no Theatreffen, assim como estarão presentes na cerimônia de encerramento do projeto Alexandria Nova-2019/2022.

Confira o texto na íntegra AQUI




Relacionadas:

Notícias | 19/ 05/ 2022

Processo Seletivo 2/2022 – Confira os dias e horários das avaliações do primeiro momento

SAIBA MAIS

Notícias | 19/ 05/ 2022

TBT : Relembre a palestra de Ellen Oléria para os estudantes do curso técnico da SP Escola de Teatro, em 2018

SAIBA MAIS

Notícias | 19/ 05/ 2022

Inscrições abertas para o workshop presencial e gratuito Dramaturgia Comunitária

SAIBA MAIS