Curso de extensão em dança tem vagas abertas para pessoas com e sem deficiência

Publicado em: 25/06/2019

A companhia desenvolve uma pesquisa de linguagem de dança contemporânea pautada na diversidade (foto: Divulgação).

Entre os dias 22 de julho e 15 de agosto, a Cia Dança sem Fronteiras realiza na SP Escola de Teatro o primeiro módulo do curso de extensão “Improviso e composição no contexto da diversidade”. Com a proposta de possibilitar que os participantes vivenciem o trabalho desenvolvido pelo grupo, as inscrições para as atividades, gratuitas, ficam abertas até o dia 14 de julho. 

Podem se inscrever atores, bailarinos, educadores e estudantes de dança com idade acima de 18 anos. O curso também é aberto a pessoas com deficiência, que podem se candidatar a uma das 35 vagas disponíveis.

A metodologia aplicada durante a extensão adota técnicas como contato improvisação, dança-teatro e DanceAbility, com foco em desenvolver nos participantes noções de criatividade e igualdade. Além disso, as ações permitem explorar e incorporar noções de tempo, espaço, dinâmica, meio e comunidade. A bailarina, atriz, coreógrafa e educadora Fernanda Amaral é quem conduz o módulo.

“Desde sua criação, em 2010, a companhia vem desenvolvendo uma pesquisa de linguagem de dança contemporânea pautada na diversidade, acolhendo as habilidades e potencialidades de seus bailarinos para criar com eles uma singular poética de movimento em seus espetáculos”, explica Amaral.

Para a coreógrafa, a Cia Dança sem Fronteiras tem como propósito celebrar a individualidade no sentido da pessoa como um ser único em sua forma de se expressar, se relacionar com o outro e com o mundo.

“Trabalhamos com habilidades mistas com o foco na habilidade de cada indivíduo, ao invés de focar no que cada indivíduo não pode fazer, e sim no que todos os indivíduos podem fazer. Ninguém pode fazer tudo, não somos iguais uns aos outros por mais parecidos que sejamos, temos sempre habilidades que nos diferem uns dos outros”, detalha.

Parceria que deu frutos

Em 2011, um ano depois da fundação da Cia Dança sem Fronteiras, foi realizado o primeiro curso de extensão na SP Escola de Teatro. Entre os 30 selecionados de um universo de 300 inscritos, foram escolhidos para participar das atividades Cida e Rafael Barbosa, respectivamente, mãe e filho.

“Quando li as fichas de inscrição, Rafael não mencionou que tinha osteogênese imperfeita, mais conhecida como síndrome dos ossos de vidro, e nem a mãe dele informou que era mãe dele. Foi uma grande emoção nas apresentações do primeiro dia quando os dois se identificaram com mãe e filho e o quanto amavam dançar e atuar juntos”, relata Fernanda Amaral.

Para a conclusão deste primeiro curso de extensão, os participantes atuaram no espetáculo “Na Mesma Cena”, baseado na obra de Evgen Bavcar, filósofo e fotógrafo esloveno que perdeu a visão aos doze anos.

Dessa experiência na SP Escola de Teatro, o grupo ampliou o quadro de integrantes da companhia. “Rafael durante todo o curso mostrou sua grande vontade de dançar e atuar como um profissional da dança e depois do curso ele ingressou para a Cia Dança sem Fronteiras”, explica Amaral.

Para se inscrever, clique aqui.




Relacionadas:

Notícias | 01/ 12/ 2021

Secretaria de Cultura abre inscrições de Edital para artistas interessados em promover formação artística!

SAIBA MAIS

Notícias | 30/ 11/ 2021

Dança é destaque no Festival Satyrianas 2021 que acontece nos palcos da unidade Roosevelt da SP

SAIBA MAIS

Notícias | 30/ 11/ 2021

SP Dramaturgias: leitura dramática de texto de Ewerton Frederico acontece na próxima quarta-feira, 8

SAIBA MAIS