Cruzando o Atlântico

Publicado em: 15/05/2015

 


A cidade de Mindelo, na Ilha de São Vicente, no Cabo Verde, recebeu, entre 7 e 10 de maio, o I Encontro Internacional de Dramaturgia em Língua Portuguesa. Batizado de MARDRAMA 2015, o evento, uma iniciativa do Centro Cultural Português/Pólo do Mindelo, sob curadoria do diretor e dramaturgo João Branco, contou com lançamento de obras de teatro, debates, concursos de dramaturgia e visita a escolas, dentre outros.

 
Estiveram ali presentes alguns dos nomes mais expressivos da dramaturgia de países lusófanos, dentre os quais o Brasil, representado por Ivam Cabral – ator, dramaturgo, fundador do grupo Os Satyros e diretor executivo da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco. 
 
 
Rui Zink, José Mena Abrantes, Janaina Alves Branco, Renato Lopes, Abraão Vicente e Ivam Cabral.
Rui Zink, José Mena Abrantes, Janaina Alves Branco, João Branco, Renato Lopes, Abraão Vicente e Ivam Cabral.
 
 
 
Cabral, aliás, participou do que os próprios organizadores e imprensa local apontaram como sendo o ponto alto do encontro: o lançamento de “Quotidiano – Esta não é uma história de amor”, obra escrita a oito mãos – José Mena Abrantes (Angola), Abraão Vicente (Cabo Verde), Ivam Cabral (Brasil) e Rui Zink (Portugal) –, já encenada, em 2014, pelo Grupo de Teatro do Centro Cultural Português do Mindelo.
 
 
Sobre o encontro, destaca que “foi absolutamente transformador. João [Branco] é uma figura ímpar e engajado em um trabalho fundamental para o desenvolvimento do teatro cabo-verdiano; é realmente um privilégio tê-lo como parceiro da SP Escola de Teatro. E lançar um livro na África, seria uma coisa inimaginável em minha vida até poucos meses atrás. E, no entanto, sim, aconteceu. Nosso ‘Quotidiano’ foi lançado em um encontro lindo”, diz Cabral.
 
 
Ponte Roosevelt – Mindelo
 
 
A SP Escola de Teatro estabeleceu pontes com Cabo Verde já há alguns anos, por meio de um convênio com a Associação Cultural Mindelact. Após intercâmbios de sucesso promovidos em 2014, quando dois aprendizes cabo-verdianos cursaram um módulo na nossa instituição, e um aprendiz de Sonoplastia ter feito um intercâmbio naquela instituição, em que realizou um mapeamento sonoro de duas ilhas de Cabo Verde, a Escola tornou-se em 2015 sócia-fundadora do Teatro Nacional de Cabo Verde.
 
 
A convite do Ministro da Cultura do país, a Instituição integrou, recentemente, a equipe de desenvolvimento e tornou-se membro permanente do conselho que administrará o recém-criado teatro nacional cabo-verdiano.
 
 
Os próximos passos previstos incluem a encenação do primeiro espetáculo desenvolvido pelo grupo filiado ao Teatro Nacional de Cabo Verde em nossa sede, a ida de aprendizes e formadores para ministrar oficinas e realizar residências artísticas no país lusófono, além da vinda de multiplicadores cabo-verdianos ao Brasil, com intuito de aprofundar seus estudos nas artes dramáticas e difundirem o conhecimento técnico aqui apreendido em sua terra natal. 
 
 
 

Relacionadas:

Notícias | 03/ 11/ 2021

Danilo Dal Lago, artista egresso da SP, estreia peça que contrapõe escritor periférico e mercado editorial

SAIBA MAIS

Notícias | 28/ 10/ 2021

Maria Bonomi inaugura obra no Memorial da América Latina que homenageia vítimas da pandemia

SAIBA MAIS

Uncategorised | 01/ 10/ 2021

Festival Satyricine Bijou anuncia vencedores da mostra competitiva e homenageia a atriz e cineasta Helena Ignez

SAIBA MAIS