Conheça a comissão avaliadora do Prêmio Solano Trindade; resultado sai em 20/2

Publicado em: 07/02/2020

No próximo dia 20, serão anunciados os três textos vencedores da primeira edição do Prêmio Solano Trindade para jovens negros dramaturgos. E na última quinta-feira (7), o grupo de avaliação dos concorrentes se reuniu na SP Escola de Teatro para discutir os últimos detalhes do resultado.

Os textos estão sendo avaliados pela dramaturga e diretora Luh Maza, os jornalistas Rosane Borges e Miguel Arcanjo e a coordenadora de Dramaturgia da Escola, Marici Salomão, que preside o júri.

Na foto abaixo, o quarteto está reunido com o bibliotecário Ueliton Alves, responsável pela comissão de heteroidentificação (o prêmio é destinado exclusivamente a pessoas autodeclaradas negras), e a atriz Elen Londero, do departamento de Projeto Especiais da Instituição e produtora do concurso.

Da esq. para dir., Marici Salomão, Rosane Borges Ueliton Alves, Miguel Arcanjo, Elen Londero e Luh Mazza. Foto: Bruno Galvincio/SP Escola de Teatro

PRÊMIO

A fim de traçar um panorama da nova produção dramatúrgica de jovens autores negros no Brasil, a SP Escola de Teatro, ligada à Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado e gerida pela Associação dos Artistas Amigos da Praça (Adaap), lançou em novembro de 2019 o Prêmio Solano Trindade (inscrições se encerraram em 20 de dezembro). O concurso vai selecionar para publicação três textos de estudantes de escolas de teatro de todo o país.

O foco do concurso são peças inéditas, escritas em português. Para concorrer, os candidatos precisam ser maior de 18 anos, brasileiros natos e estrangeiros naturalizados no país, matriculados em escolas de formação em Artes Cênicas ou que tenham concluído seus estudos nos últimos três anos. Os textos vencedores do Prêmio Solano Trindade vão ser publicados em livros, em formato impresso e digital, editados e distribuídos pela SP Escola de Teatro.

SOLANO TRINDADE

A premiação é uma homenagem ao ator, diretor, cineasta, escritor e militante pernambucano Francisco Solano Trindade (1908-1974), em cuja obra fez marcantes denúncias contra o racismo e o preconceito no Brasil. Nos anos 1930, no Recife, Trindade foi um dos fundadores da Frente Negra Pernambucana e do Centro Cultural Afro-Brasileiro, para divulgação de obras de intelectuais e artistas negros.

Solano Trindade se dedicou ao estudo e divulgação do teatro popular e do folclore brasileiro. De mudança para o Rio de Janeiro, em 1950, criou, junto com a esposa, Margarida, e o sociólogo Edison Carneiro, o Teatro Popular Brasileiro, que depois de uma turnê pela Europa estabelece sua base em Embu, na Grande São Paulo.
Foi Trindade o primeiro a encenar a peça “Orfeu”, de Vinícius de Moraes, em 1956.

Relacionadas:

Notícias | 20/ 02/ 2020

SP Escola de Teatro anuncia vencedores do Prêmio Solano Trindade para jovens dramaturgos negros do país

SAIBA MAIS

Notícias | 18/ 02/ 2020

SP Escola de Teatro suspende atividades durante o Carnaval

SAIBA MAIS

Notícias | 15/ 02/ 2020

Estudantes do curso técnico participam de mesas de discussões sobre teatro e amor

SAIBA MAIS

 

O site da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco está sob licença Creative Commons. A cópia e a reprodução de seu conteúdo são autorizadas para uso não-comercial, desde que citado o devido crédito ao site, aos autores e fotógrafos. Não estão incluídas nessa licença obras de terceiros.

Para reprodução com outros fins, entre em contato com a Escola.

Assisdesign