Colóquio discute experiências de arte inclusiva no Brasil e em Portugal

Publicado em: 06/11/2019

 

O papel da arte no processo de inclusão social é tema do colóquio luso-brasileiro organizado pela SP Escola de Teatro, instituição ligada à Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado, e o Centro de Estudos Arnaldo Araújo da Escola Superior Artística do Porto (Esap), que acontece nos dias 12, 13 e 16 de novembro, na capital paulista. No evento gratuito, artistas, autoridades, gestores culturais e pesquisadores participam de painéis, nos quais discutem políticas e experiências de acessibilidade, com exemplos de atuação de pessoas transgênero, pessoas com deficiências e detentos do sistema prisional.

O colóquio acontece na sala Alberto Guzik, na unidade Roosevelt da SP Escola de Teatro. Aberto ao público, não precisa de inscrição para participar.

Esta é a segunda etapa do colóquio, cujo tema é “Arte inclusiva — Quem inclui quem?”. A primeira delas aconteceu em Portugal, em 10 de outubro, e contou com participação do diretor executivo da SP Escola de Teatro, Ivam Cabral, do coordenador pedagógico Joaquim Gama e da artista docente convidada Adriana Vaz. Eles apresentaram o modelo de educação integrativa da Escola, que é referência no Brasil e em países como Finlândia e Suécia. No Porto, participaram também do colóquio outros pesquisadores e artistas, como o poeta e músico Carlos Tê e os pedagogos teatrais Hugo Cruz e Jorge Louraço.

Nesta segunda etapa, agora em São Paulo, além da presença de brasileiros, também estará presente a professora e diretora artística portuguesa Luísa Pinto, da Escola do Porto. Luísa participa de três atividades da programação, entre eles o painel de abertura, em que conversa sobre perspectivas da arte inclusiva em São Paulo e Portugal, com a professora Lucília Guerra, diretora de Capacitação Técnica, Pedagógica e de Gestão do Centro Paula Souza.

O objetivo do colóquio é traçar um panorama reflexivo diverso da intersecção da arte como ferramenta de inclusão social. Para tanto, o evento terá, ainda, participação de representantes do poder público, como os secretários municipais de Cultura, Alê Youssef, e da Pessoa com Deficiência, Cid Torquato, e de artistas como o bailarino Rafael Barbosa, o diretor teatral Maurício Paroni (os três com deficiência), as atrizes Márcia Araújo Dailyn, Divina Valéria e o dramaturgo Dani Veiga.

PARCERIA

O colóquio “Arte inclusiva — Quem inclui quem?” também marca o lançamento no Brasil do filme-concerto “O Filho Pródigo”, de Luísa Pinto e Carlos Coelho, que será exibido em São Paulo em parceria com o festival Satyrianas, no dia 16 de novembro, no Cine Bijou (praça Roosevelt), às 18h30.

No projeto inédito realizado no Porto, os diretores criaram o trabalho com elenco formado por atores profissionais — entre elas Fernanda Lapa, uma das principais atrizes portuguesas, com mais de 50 anos de carreira — e detentos do sistema prisional de Santa Cruz do Bispo, em Matosinhos, no Porto.

“O Filho Pródigo” foi criado a partir do texto de João Maria André e Helder Wasterlain e tem música de Eduardo Silva e Ruca Lacerda. A obra é quase toda muda, com trechos narrados (em São Paulo, Ivam Cabral fará a narração) e diálogos expostos em legendas. Na história, dolorosos desencontros de uma família cujo filho partiu deixando o pai rancoroso, a mãe saudosa e o irmão sob a difícil tarefa de preencher tal vazio.

Confira a programação:


>> TERÇA-FEIRA, 12

Às 9h15
Abertura dos painéis
Lucia Camargo (SP Escola de Teatro)

Das 9h20 às 11h
Painel – Perspectivas sobre arte inclusiva em São Paulo e no Porto (PT): “Quem Inclui Quem?”
Participantes: Luisa Pinto (Esap), Lucília Guerra (Centro Paula Souza – CPS) e Joaquim Gama (SP Escola de Teatro)
Provocadora: Beth Lopes (USP)

Das 11h30 às 13h30
Painel – Todos podem atuar no palco?
Participantes: Ingrid Dormien Koudela (USP), Eugênio Lima (Núcleo Bartolomeu de Depoimentos) e Sanna Ryynänen (Universidade do Leste da Finlândia)
Provocador: Durval Mantovanini (Centro Paula Souza – CPS)

Intervalo – Almoço

Das 15h às 16h30
Painel – Ocupação e acessibilidade
Participantes: Marcos Filipe (Cia. Mungunzá), Paulo Faria (Cia. Pessoal do Faroeste) e Rodolfo García Vázquez (Cia. Os Satyros)
Provocadora: Mawusi Tulani (atriz)

Das 17h às 18h30
Painel – Políticas de acesso à cultura
Participantes: Cid Torquato (Secretário Municipal da Pessoa com Deficiência), Pedro Granato (USP) e Rosana Paulo da Cunha (Sesc)
Provocadora: Rosane Borges (USP)

>> QUARTA-FEIRA, 13

Das 9h às 11h
Painel – Teatro na prisão
Participantes: Luisa Pinto (Esap), Sérgio Kauffman (UniRio), Alex Giostri (Editora Giostri) e Carolina Nóbrega da Silva (Grupo do Trecho)
Provocadora: Adriana Vaz (pesquisadora)

Das 11h30 às 13h30
Painel – Acessibilidade dos artistas à arte
Participantes: Rafael Barbosa (dançarino com deficiência), Maurício Paroni (diretor teatral com deficiência) e Gabriel Sousa (bailarino com baixa visão)
Provocadora: Fernanda Amaral (coreógrafa)

Intervalo – Almoço

Das 15h às 16h30
Painel – Arte e gênero
Participantes: Márcia Araújo Dailyn (atriz trans d’Os Satyros), Dani Veiga (dramaturgo trans) e Divina Valéria (atriz trans).
Provocador: Miguel Arcanjo Prado (jornalista)

Das 17h às 18h30
Painel – As experiências sobre arte inclusiva em Portugal e o Projeto Ponto Firme
Participante: Luísa Pinto (Esap) e Gustavo Silvestre (estilista)
Provocadora: Elen Londero (SP Escola de Teatro)

Às 19h
Exibição do documentário “Divinas Divas”, dirigido por Leandra Leal
As Divinas Divas são ícones da primeira geração de artistas travestis no Brasil dos anos 1960. Um dos primeiros palcos a abrigar homens vestidos de mulher foi o Teatro Rival, dirigido por Américo Leal, avô da diretora. O filme traz para a cena a intimidade, o talento e as histórias de uma geração que revolucionou o comportamento sexual e desafiou a moral de uma época.
Elenco: Rogéria, Jane Di Castro, Divina Valéria, Camille K, Fujika de Halliday, Eloína dos Leopardos, Marquesa e Brigitte de Búzios

>> SÁBADO, 16 (pós-colóquio, em parceria com o festival Satyrianas)

18h30
Filme-concerto “O Filho Pródigo”, com participação do Ivam Cabral
Local: Cine Bijou (Praça Roosevelt, 172)

 

>>>Clique aqui para acessar os currículos dos participantes e as ementas dos painéis

 




Relacionadas:

Notícias | 19/ 11/ 2019

Olhares:  ex periência em e s tilha ç o s

SAIBA MAIS

Notícias | 19/ 11/ 2019

Leitura dramática “Guerra à la Carte”, acontece neste sábado (23)

SAIBA MAIS

Agenda | 19/ 11/ 2019

SP Escola de Teatro cria programação especial no mês da Consciência Negra

SAIBA MAIS

 

O site da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco está sob licença Creative Commons. A cópia e a reprodução de seu conteúdo são autorizadas para uso não-comercial, desde que citado o devido crédito ao site, aos autores e fotógrafos. Não estão incluídas nessa licença obras de terceiros.

Para reprodução com outros fins, entre em contato com a Escola.

Assisdesign