Arte e cultura indígenas são temas de conferência

Publicado em: 20/09/2013

 

A continuação do ciclo de conferências do projeto “Sonata fantasma bandeirante” acontece na próxima segunda-feira (23), das 19h30 às 22h30, com Maria Inês Ladeira falando sobre o tema “Territorialidade Guarani e o conceito de Yvy Rupa”, e Clissia Morais sobre “Direção de arte em cinema e teatro indígena”. O guarani e coordenador da Comissão Guarani Yvy Rupa, Marcos Tupã, também participará do debate, a convite de Maria Inês.

 

O projeto, residência artística do dramaturgo e encenador de origem amazonense Francisco Carlos na SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco, é fruto de uma parceria entre a Escola, a Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária/USP e o Instituto de Psicologia/USP. Seguindo até o final de março de 2014, compreende um ciclo de seis conferências e a própria residência, que servirá como base para a montagem de uma peça teatral, intitulada “Sonata fantasma bandeirante”, que será apresentada em duas partes: “Spaghetti paulista” e “São Paulo-Chicago”, com a participação de aprendizes da Escola.

 

As conferências, cujos diálogos pretendem compor o mosaico intertextual e desconstrutivo que caracteriza a poética cênico-teórica de Francisco Carlos, prosseguem, depois, nos dias 28 e 30 de setembro, acontecendo sempre na Sede Roosevelt da Escola, com entrada gratuita e aberta ao público.

 

Currículos dos participantes:

Maria Inês Ladeira

Mestre em Antropologia Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC) e Doutora em Geografia Humana pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP). É sócia fundadora do Centro de Trabalho Indigenista (CTI) e, desde 1979, realiza projetos voltados à melhoria das condições ambientais e à regularização das terras Guarani nas regiões sul e sudeste do Brasil. É autora dos livros Espaço Geográfico Guarani-Mbya – Significado, Constituição e Uso, O Caminhar Sob a Luz. Território Mbya à Beira do Oceano, dentre outros.

 

Clíssia Morais

Trabalha há mais de 20 anos com direção e produção de arte e objetos em cinema, teatro e exposições. Dentre seus muitos trabalhos em cinema e TV estão  Brincando nos Campos do Senhor, de Hector Babenco, Hans Staden, de Luiz Alberto Pereira, Desmundo, de Alain Fresnot, Blindness, de Fernando Meirelles, Alice, de Karim Aïnouz e Antônia, de Tata Amaral. Em teatro e exposições realizou os seguintes trabalhos: Jaguar Cibernético, de Francisco Carlos, O Pequeno Príncipe, de João Falcão, Espetáculo Teatral Desassossego, de Márcio Aurélio, Don Carlo e A Ópera do Malandro, ambas com direção de Gabriel Villela. Realizou ainda as exposições Pedro Bandeira Está para Brincadeira (Sesc Santo André) e a Sombra e Luz (Sesc Pompéia), dentre outras.

 

 

Serviço

Ciclo de Palestras:

 

Dia 23 de setembro, das 19h30 às 22h30

Maria Inês Ladeira e Marcos Tupã | Territorialidade Guarani e o conceito de Yvy Rupa 

Clissia Morais | Direção de arte em cinema e teatro indígena.

 

Dia 28 de setembro, das 12h30 às 14h30

Peter Pál Pelbart | Pensamentos e poéticas nômades e migrantes.

 

Dia 30 de setembro, das 19h30 às 22h30

Gianni Puzzo e Melina Bertholdo | Exibição do filme “Yvy Rupa – a terra é uma só! Visões Guarani da história da América”, de Jera Guarani e Gianni Puzzo, seguido por debate com os autores. 

 

Onde: SP Escola de Teatro – Sede Roosevelt

Praça Roosevelt, 210 – Consolação

Tel. (11) 3775-8600

Grátis

 

 

Texto: Felipe Del

Relacionadas:

Notícias | 03/ 11/ 2021

Danilo Dal Lago, artista egresso da SP, estreia peça que contrapõe escritor periférico e mercado editorial

SAIBA MAIS

Notícias | 28/ 10/ 2021

Maria Bonomi inaugura obra no Memorial da América Latina que homenageia vítimas da pandemia

SAIBA MAIS

Uncategorised | 01/ 10/ 2021

Festival Satyricine Bijou anuncia vencedores da mostra competitiva e homenageia a atriz e cineasta Helena Ignez

SAIBA MAIS