Aprendiz em Foco | Lauanda Varone

Publicado em: 26/04/2013

Aos 5 anos, a menina Lauanda já ia na contramão da maioria das crianças da sua idade. “Eu fugia do CTG, não queria ser prenda. Eu era mal falada pela minha família por nunca ter sido prenda e não querer representar as tradições. O local era a única referência de cultura que havia na minha cidade e eu ficava buscando outros meios de fazer o que gostava. Foi quando surgiu um curso de interpretação, teatro e vitrine viva”. 

 

Na primeira chance, Lauanda mergulhou no estudo das artes do palco. “O Sul tem uma preocupação com as jovens, pelo fato de a região ser alvo de agências em busca de modelos. Mas eu também não cabia nesse perfil”, explica. Ao longo do tempo, foi buscando outras oficinas quando foi chamada para estudar na Luzarte Escola de Atores, em Santa Maria, ainda durante o Ensino Fundamental. “Mais tarde, integrei o Grupo Teatral Máscharas. O coletivo era amador, ou seja, você constrói cenário, monta cenário, apresenta, desmonta cenário e vai embora. E tudo isso me trouxe a certeza de que era o queria fazer como artista”, afirmou.

 

Com o norte definido, Lauanda precisava escolher qual direção tomar. Entre as opções de estudar em faculdades e escolas locais, a mais desafiadora era vir a São Paulo. “Conversei com a minha mãe e decidimos vir para cá. Ela tinha acabado de montar um escritório de psicopedagogia, fechou o negócio e saímos de Cruz Alta”, relembrou, sorridente. E a chegada à capital, em 2007, trouxe mudanças externas e internas. “Eu achava que, pelo fato de já fazer teatro no Sul, ia conseguir aqui. No entanto, descobri que eu era mais uma na multidão. E eu entrei em crise”, disse. A gaúcha procurou cursos, se formou em Rádio e TV e fez pós-graduação em Artes Cênicas. Sua estreia em São Paulo foi em 2009, com o espetáculo “Antes que Seja Tarde”, da Cia. Eventual de Teatro, direção de Dan Rosseto. 

 

“Eu digo que a Escola me ajudou a ‘desaprender’ muitas coisas. Eu cheguei com muitas manias e preconceitos e fui desconstruindo isso”

 

E a divisão de águas na sua carreira aconteceu no ano passado, com seu ingresso na SP Escola de Teatro. “Eu digo que a Escola me ajudou a ‘desaprender’ muitas coisas. Eu cheguei com muitas manias e preconceitos e fui desconstruindo isso”. E, ainda em 2012, novos frutos vieram. “Fui chamada para fazer uma substituição em ‘O Casal Palavrakis’”. O espetáculo estreou no Sesc Consolação com a Cia. Kaus de Teatro Experimental e segue em última semana, no Teatro Heleny Gariba, na Praça Roosevelt. 

 

 

Em sua lista de projetos, Lauanda já se prepara para a próxima montagem da trupe, além de participar da Residência da atriz Maria Alice Vergueiro na SP Escola de Teatro. Sobre sua cidade natal, ela afirma que, vez ou outra, visita o Sul. “Tenho muitos amigos lá. Também não dá pra abrir mão de um bom churrasco e do chimarrão”, finaliza.

 

Serviço:

“O Casal Palavrakis”

Quando: amanhã, às 21h, e domingo, às 20h

Onde: Teatro Studio Heleny Guariba

Praça Roosevelt, 184 – Consolação

Tel.: (11) 3259 – 6940

R$ 30

 

Texto: Leandro Nunes

Relacionadas:

Uncategorised | 16/ 12/ 2021

16 de dezembro é dia do Teatro Amador: Conheça mais sobre essa importante prática cultural brasileira!

SAIBA MAIS

Notícias | 03/ 11/ 2021

Danilo Dal Lago, artista egresso da SP, estreia peça que contrapõe escritor periférico e mercado editorial

SAIBA MAIS

Notícias | 28/ 10/ 2021

Maria Bonomi inaugura obra no Memorial da América Latina que homenageia vítimas da pandemia

SAIBA MAIS