Anderson Duarte, artista egresso da SP, celebra a publicação de seu texto no TUSP

Publicado em: 17/12/2021

No último dia 15 de dezembro foi publicado o texto Direito de Moscou, de Anderson Duarte, artista egresso da SP, pelo TUSP (Teatro da Universidade de São Paulo), que é um grupo ligado à Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária. A publicação foi online e fez parte do projeto promovido pelo órgão nomeado Dramaturgias em Processo, e o lançamento ocorreu em uma live no Facebook do TUSP com os participantes.

O projeto Dramaturgias em Processo visa incentivar a nova produção dramatúrgica, ante a carência de iniciativas de fomento desde o início da pandemia. Foram selecionados trabalhos que tiveram como objeto a realização, ao longo de quatro meses de pesquisa, criação e redação literária. O resultado é de peças inéditas que podem ser destinadas ao público adulto, infantil e juvenil. Dentre 365 textos que a primeira edição do edital Primeiras Dramaturgias e Dramaturgias do Tempo recebeu no início de 2021, Direito de Moscou foi um dos 14 contemplados.

Entrevista: Marici Salomão fala sobre dramaturgia durante a pandemia

Segundo o autor, o curso de dramaturgia da SP Escola de Teatro teve um papel fundamental na formação que lhe inspirou a escrita do texto. Ele afirma que seu processo criativo se iniciou ainda enquanto estudava na instituição, em 2019, “sob a afetuosa e precisa coordenação da mestra Marici Salomão”, coordenadora do curso de dramaturgia desde o início da Escola.

O curso técnico em Dramaturgia da SP é direcionado a novos dramaturgos. Um de seus propósitos é estimular novas percepções de mundo e diferentes formas de construção textual. Equilibra teoria, técnica e prática, incluindo conteúdos que compõem a base de criação a outras mídias. Os textos criados pelos estudantes são analisados em grupo e em plantões individuais, com dramaturgos especializados, e podem vir a ser publicados, lidos publicamente e/ou montados. O curso enfatiza a formação teórica e prática sobre postulados mais recentes no Brasil, como o dramaturgismo. Trata-se de uma formação interdisciplinar com as outras artes do palco oferecidas pela Escola.

Anderson Duarte nasceu na zona norte de São Paulo. Possui graduação em ciências sociais pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e licenciatura em geografia. Cursou dramaturgia na SP Escola de Teatro, estudou cinema na Escola Livre de Cinema e Vídeo de Santo André (ELCV) de 2016 a 2018. Fez parte do Núcleo de Dramaturgia da Escola Livre de Teatro de Santo André (ELT) nos anos de 2018 e 2019.

Na área da educação atua como professor de Sociologia e Geografia. No campo das artes escreve para cinema e teatro. Como dramaturgo, escreveu Jazia e Mínima Parte, que tiveram leitura na Mostra de Dramaturgia da ELT no SESC em 2018 e 2019, e Garotos Perdidos não Contam. Para cinema escreveu o curta Meganhas, e no ano de 2021 o roteiro de Aurora (curta metragem) e seu primeiro documentário, DocEscola, sobre a ELCV (Escola Livre de Cinema e Vídeo) de Santo André. Atualmente trabalha em projetos que visam impulsionar o incentivo à leitura através da dramaturgia e cineclubes.




Relacionadas:

Notícias | 19/ 01/ 2022

Rita Miranda e Laércio Motta, artistas egressos da SP, promovem espetáculo infantil digital e gratuito!

SAIBA MAIS

Notícias | 19/ 01/ 2022

Ator alemão comemora sucesso de sua oficina na SP e promove espetáculo exclusivo na sede Roosevelt da instituição

SAIBA MAIS

Notícias | 19/ 01/ 2022

100 anos da semana de 1922: Conheça ‘Samba’, considerada a obra mais importante de Di Cavalcanti

SAIBA MAIS