26º Prêmio Shell entrega seus troféus e SP Escola de Teatro tem “representantes”

Publicado em: 19/03/2014

A Estação São Paulo recebeu, na noite desta terça-feira (18), a entrega do 26º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo. Com apresentação da atriz Renata Sorrah, o evento aproveitou a ocasião para homenagear o ator Paulo Goulart, que morreu na quinta-feira passada (13).

Como de costume, a SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco teve seus representantes entre os vencedores: Kiko Marques, que é artista residente na Escola, levou o troféu de Melhor Autor por “Cais ou da indiferença das embarcações”; e Os Satyros, grupo fundado por Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez, respectivamente diretor executivo e coordenador do curso de Direção, ganharam na categoria Inovação, “pela projeção, permanência e abrangência do evento ‘Satyrianas’ na condição de fenômeno histórico-artístico e social”. Gustavo Ferreira, produtor da Instituição, é o coordenador geral do evento.

Ivam Cabral, que estava na Polônia, deixou um texto para ser lido caso o grupo vencesse. Nele, agradece uma série de pessoas que foram parceiras e inspiraram os Satyros ao longo de sua trajetória: Carlos Giannazi, Paulo Autran, Neviton de Freitas, Fauze El Kadre, Vanusa, Zé Celso. “Mas esse prêmio é, antes de tudo, da classe teatral paulistana. Obrigado Parlapatões, obrigado Praça Roosevelt, obrigado São Paulo!”, finaliza.

 


Gustavo Ferreira e Rodolfo García Vázquez comemoram o prêmio  

 

Outro nome que a Instituição pode se orgulhar de ver entre os vencedores é o do espetáculo “Nossa cidade”, dirigido por Antunes Filho, que levou o prêmio de Melhor Direção. A Escola “emprestou”, por assim dizer, três membros que integram a montagem: Raul Teixeira, coordenador do curso de Sonoplastia e velho conhecido de Antunes, responsável pela trilha sonora; Lenon Almeida, aprendiz de Sonoplastia, como assistente e operador de som; e Fagundes Emanuel, que cursou alguns módulos do curso de Humor e compõe o elenco da peça.

A mais premiada da noite foi a peça “Cantata para um bastidor de utopias”, com um troféu para Rogério Tarifa na categoria Cenário e outro para Jonathan Silva e William Guedes, na categoria Música.

 

Veja, abaixo, os vencedores de todas as categorias:


Autor

Kiko Marques por “Cais ou da indiferença das embarcações”

 

Direção

Antunes Filho por “Nossa cidade”


Ator

Chico Carvalho por “Ricardo III”

 

Atriz

Fernanda Azevedo, “Morro como um país”

 

Cenário

Rogério Tarifa por “Cantata para um bastidor de utopias”

 

Figurino

Miko Hashimoto por “Operação trem-bala”

 

Iluminação

Fran Barros por “Vestido de noiva”

 

Música

Jonathan Silva e William Guedes por “Cantata para um bastidor de utopias”

 

Inovação

Os Satyros pela projeção, permanência e abrangência do evento “Satyrianas” na condição de fenômeno histórico-artístico e social

 

Homenagem Especial

Eva Wilma, pelos 60 anos dedicados ao teatro

 

Texto: Felipe Del

Relacionadas:

Notícias | 03/ 11/ 2021

Danilo Dal Lago, artista egresso da SP, estreia peça que contrapõe escritor periférico e mercado editorial

SAIBA MAIS

Notícias | 28/ 10/ 2021

Maria Bonomi inaugura obra no Memorial da América Latina que homenageia vítimas da pandemia

SAIBA MAIS

Uncategorised | 01/ 10/ 2021

Festival Satyricine Bijou anuncia vencedores da mostra competitiva e homenageia a atriz e cineasta Helena Ignez

SAIBA MAIS