Projetos Internacionais

Publicado em: 20/12/2018

As parcerias internacionais são parte importante da formação na SP Escola de Teatro. Desde sua inauguração, em 2010, ela mantém relações com universidades, teatros e associações estrangeiras, em projetos que envolvem residências artísticas, pesquisa e intercâmbios de aprendizes e formadores. E, em 2018, a Instituição vai encerrar o ano com uma marca inédita: foram mais de 30 intercâmbios entre artistas do Brasil e de países como Finlândia, Suécia e Suíça.

Durante o ano, quatro aprendizes brasileiros participaram de um intercâmbio em Zurique, na Suíça. Outros cinco foram para Estocolmo, na Suécia. No mesmo período, a SP Escola de Teatro recebeu quatro estudantes suíços, dois finlandeses e também dois da Suécia.

E as parcerias não se resumem apenas aos estudantes da Instituição, englobando também seus coordenadores e formadores. Em novembro, o coordenador do curso de Direção da SP Escola de Teatro, Rodolfo García Vázquez, ministrou um curso a nível de mestrado sobre teatro e identidade nacional na Academia de Teatro de Helsinque, na Finlândia.

Os intercâmbios também são possibilidades de formação continuada, como é o caso do estudante egresso de Direção e hoje diretor, compositor e formador convidado da Instituição, Dan Nakagawa. Ele foi a Estocolmo, na Suécia, onde montou a mesma peça que realiza em São Paulo. Nakagawa ganhou um edital no país europeu e fez, em dezembro, uma leitura da peça “O Aniversário de Jean Lucca” com atores e atrizes locais.

Como troca mútua de experiências, no mesmo mês a SP Escola de Teatro recebeu Ulrika Malmgren, professora do departamento de atuação da Universidade das Artes de Estocolmo. Ela acompanhou a Mostra de Experimentos Cênicos dos estudantes dos cursos regulares, atuando como mediadora artística durante o período.

“A SP Escola de Teatro significa muito para os professores e estudantes da Uniarts Estocolmo. Trabalhamos juntos há oito anos e temos bastante orgulho poder compartilhar este sistema educacional único”, escreveu Malmgren em depoimentos sobre a parceria. “Nossa cooperação contribuiu para o desenvolvimento artístico e educacional de várias maneiras, tanto na Suécia quanto no Brasil.”

Quem também passou por aqui foi nova diretora do departamento de atuação da universidade sueca, Josette Bushell-Mingo, que veio a São Paulo para planejar os próximos intercâmbios com a Escola brasileira.

Assim como Malmgren e Bushell-Mingo, outros artistas e professores internacionais passaram pela SP Escola de Teatro em 2018. É o caso do argentino Gonzalo Córdova, que participou do 2º Seminário de Iluminação Cênica, e do dramaturgo e roteirista cubano Reinaldo Montero, que ministrou uma oficina criativa como convidado da Extensão Cultural.