EN | ES

Extensão Cultural

Publicado em: 19/12/2017

Os cursos da SP Escola de Teatro não se restringem somente aos aprendizes dos cursos regulares: o departamento de Extensão Cultural é responsável pelos cursos de extensão, destinados a artistas amadores e profissionais e à comunidade em geral interessada em descobrir ou aprofundar seu conhecimento sobre a área teatral e sobre o universo da cultura e da arte.

Em 2017, a Extensão Cultural organizou e realizou cerca de 35 atividades entre cursos, workshops e mesas de discussão, atendendo a mais de 2 mil pessoas. Como maneira de criar e estreitar laços com criadores e pensadores das mais diversas áreas culturais.

Entre os destaques do ano está o curso de dublagem ministrado por Herbert Richers Jr., que foi o campeão de inscrições em 2017. No curso, realizado durante as férias de julho, os participantes puderam desenvolver suas próprias habilidades com a técnica ao estudar e gravar cenas sob a orientação de Richers.

Outros cursos que chamaram a atenção foram o de Teatro Musical, sob a orientação de Cadu Witter, e o curso ministrado por Jorge Ferreira Silva, em que os participantes construíram um elevador cênico.

As atividades da Extensão Cultural não ficaram restritas também somente aos prédios da SP Escola de Teatro. Em 2017, o bloco de carnaval Acadêmicos do Baixo Augusta abriu sua sede na Praça Roosevelt e passou a oferecer seu espaço para cursos da Escola. Entre outubro e novembro, um curso de produção cultural e outro de dinâmica de palco foram realizados por lá.

Para o diretor executivo da SP Escola de Teatro, Ivam Cabral, a parceria da Instituição com o bloco solidifica a importância e a força da Praça Roosevelt como ponto cultural de São Paulo. “Essa chegada ‘oficial’ do samba vem para consolidar um movimento muito forte no entorno da praça, que já contava com o teatro, a literatura e o cinema”, disse.

A Associação Paulista dos Amigos da Arte (Apaa) também foi parceira da Escola em 2017. Três montagens circenses inéditas, frutos de uma residência artística com direção de Hugo Possolo, Bel Coelho e Fernando Neves, estrearam no 10º Festival Paulista de Circo, em Piracicaba, interior do estado.

Quem também se uniu à Escola foi o Teatro Sérgio Cardoso, na Bela Vista. Um dos cursos realizados no espaço foi “Dança para Todos os Corpos”, em que o bailarino Marcos Abranches trabalhou com práticas de consciência corporal, exploração do movimento e respiração e concentração. Abranches é coreógrafo e dançarino portador de coreoatetose, deficiência física rara decorrente de uma lesão cerebral, por esse motivo, o curso foi criado com o objetivo de ser acessível a todos que se interessam por dança e performance.

Para 2018, a Extensão Cultural já prepara mais atividades, e os espaços parceiros vão continuar a fortalecer suas relações com a SP Escola de Teatro e com a arte.