Uma Viagem no Mundo do Teatro

Publicado em: 07/07/2011

Atibaia foi a cidade em que o aprendiz de Direção, Durval Mantovaninni, viveu com sua família, até vir para a capital estudar na SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco.

 

Sempre rodeado de irmãos, primos e amigos, se divertiu muito na rua com brincadeiras como pega-pega, esconde-esconde, carrinho de rolimã, entre outras. Futebol também era um de seus passatempos preferidos.

 

Quando ainda criança, sonhava ser Tintim, a personagem principal do desenho “As Aventuras de Tintim”. Esse apaixonado por viagens diz que a cidade onde nasceu e cresceu lhe proporcionou um crescimento saudável. “Parece piegas, mas é verdade.”

 

O teatro apareceu na sua vida por um motivo muito comum: a timidez. Em 1998, iniciou um curso básico e, seis anos depois, percebeu que ali era o seu lugar. Por meio de diversos workshops, oficinas e cursos livres, Mantovaninni se aperfeiçoou na área.

 

Por possuir um grupo em que desenvolve projetos de teatro, Direção foi logo seu curso de interesse. “Os integrantes do grupo participam de todas as instâncias de criação, por isso busco aprender mais sobre o ato de dirigir”, comenta.

 

Sua vinda à SP Escola de Teatro seu deu por dois principais motivos; os artistas envolvidos e a interessante Matriz. Portanto, quando viu seu nome na lista dos aprovados, saiu de casa tranquilo e determinado e sentiu-se inteiramente “capaz” de exercer aquilo que tanto gosta.

 

A quantidade de pessoas – tanto aqueles que transmitem conhecimento quanto aqueles que “bebem da fonte” – com quem se relaciona e pode, consequentemente, trocar informações é algo muito importante em seu ponto de vista. Além disso, o aprendiz é contemplado com a Bolsa-Opotunidade do Programa Kairós, que o ajuda no seu dia a dia fora de sua cidade.

 

Seu interesse no que estuda é tanto, que o aprendiz gostaria que a Matriz do curso fosse ainda mais extensa, podendo, assim, dedicar mais tempo àquilo que o motiva.

 

Mantovaninni acredita que todos os formadores estão empenhados e envolvidos com a proposta da Escola. “Veja que há uma boa mistura entre pessoas que são do ofício e outros acadêmicos. Vejo artistas formando artistas e acho isso incrivelmente rico.”

 

Veja a história de outros aprendizes que vieram de longe pelo amor ao teatro:

 

Cris Oliveira – https://spescoladeteatro.org.br/noticias/ver.php?id=1062

Benedito Ferreira – https://spescoladeteatro.org.br/noticias/ver.php?id=1072