EN | ES

Um sábado bem cultural

Publicado em: 20/04/2010

O Território Cultural do sábado, 17 de abril, contou com novidades e atividades simultâneas. Além da exibição de filmes e vivências teatrais, os participantes acompanharam a abertura de exposições e o desenvolvimento de dois espetáculos teatrais.


Os aprendizes de Cenografia e Figurino e de Técnicas de Palco apresentaram materiais lúdicos como máscaras, adagas, maquetes de cenários, roupas customizadas e adereços, fruto de exercícios propostos em sala de aula pelos formadores e coordenadores. Também foram mostrados os suportes para expor o material, como um pequeno palco, uma escada, mesas e painéis, todos construído pelos alunos. O trabalho pode ser visto até 24 de abril. A entrada é gratuita.
“Ver outras pessoas comentando o nosso trabalho é gratificante”, afirmou Kátia Augusto, aluna de Técnicas de Palco.


Um imenso varal atravessava os corredores com textos escritos pelos aprendizes de Dramaturgia. Era o Varal Dramático. O material interagia com o público que caminhava pelo prédio para visitar as exposições ou ia em direção as salas de atividades do dia. Pessoas paravam e liam as cenas, resultado de oito encontros semanais com o dramaturgo Newton Moreno, que propôs estímulos para criação do material.


Atividades Simultâneas


Os alunos de Atuação da SP Escola de Teatro realizaram a leitura dramática das peças de Arthur Miller e Bernard Shaw. Felipe Silva integrava o grupo que apresentou “A Profissão da Sra. Warren”, de Bernard Shaw. “Hoje teremos uma grande produção com figurinos de época”, brinca. O grupo cumpriu a promessa e preparou cada detalhe dos adereços da história ambientada no passado.


O cinema também esteve presente nas atividades de Iluminação, com o “O Gabinete do Doutor Caligari”, e de Dramaturgia, com “Muito Barulho por Nada”, adaptação para o cinema da peça de William Shakespeare. Na segunda atividade, o crítico de cinema Christian Petermann foi convidado para debater com participantes: “É um ótimo exercício poder ver as transformações da literatura para o universo audiovisual”, disse.


Fábio Mazzoni, diretor de teatro e dança, propôs vivências sobre a junção de diversas linguagens artísticas, tais como teatro, dança, cinema, literatura, música e artes plásticas. “A partir da recriação da ambiência de três trabalhos meus, discutimos diversos conceitos estéticos”, afirmou o diretor.


Feira Cultural


A Feira Cultural é sempre um momento livre reservado ao final do Território Cultural para que os alunos dos oito cursos apresentem processos de criação. Welton da Silva, aprendiz de Atuação, convidou o seu grupo para mostrar o estudo da montagem do espetáculo “O Bloco do eu Sozinho”, baseado em álbum homônimo dos Los Hermanos. 

Os alunos de Sonoplastia fizeram uma intervenção musical inusitada da música 4’33’’, de John Cage, permanecendo todo o tempo da música sem tocar um acorde, como a partitura pede. “O objetivo é discutir o que é silêncio e o que é música”, explica André Martinez, aprendiz de Sonoplastia.


Para finalizar, Daniel Alves da Silva, aprendiz de Dramaturgia, convidou os colegas dos outros cursos para realizar a montagem de uma cena escrita por ele. A história manteve a concentração de todos, mesmo sendo a última atividade do dia. Ao final, a encenação foi aplaudida, fazendo com que o dia terminasse com chave ouro.
Texto e Fotos: Lucas Arantes
 | SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco | 20/04/2010