Talentos Premiados em “Recusa”

Publicado em: 18/12/2012

A Cia. Balagan ocupou a Sede Roosevelt da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco da primeira semana de outubro até o último domingo (16), com a mostra “Recusa e Prometheus: Uma Simetria Invertida”, composta pela apresentação de dois espetáculos: “Recusa” e “Prometheus – A Tragédia do Fogo”. Essa foi a primeira vez que um grupo de teatro cumpriu temporada na Escola (para saber mais sobre o assunto, clique aqui). “Foi um orgulho imenso para nós, da Escola, recebermos a companhia da Maria Thais. Uma honra mesmo”, diz Ivam Cabral, diretor executivo da SP Escola de Teatro.

E, na semana passada, esse orgulho da Instituição em sediar a mostra da Cia. Balagan ganhou mais dois “motivos”: os atores Eduardo Okamoto e Antonio Salvador, que trabalham no espetáculo, conquistaram, ambos, em empate, o troféu na categoria Melhor Ator da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), que deverão receber em cerimônia prevista para março de 2013.

Na trama, que se passa em 2008, dois índios da tribo Piripkura – que até então era dada como extinta – aparecem perto de uma fazenda em Rondônia, virando notícia em todo o País.

Em entrevista a Ivam Cabral, a diretora Maria Thais fala sobre “Recusa” e a atual realidade dos índios no Brasil: “Sabemos hoje que muitos dos povos ameríndios recusam a  organização do Estado como tal. Que se organizam de outra maneira. O que não quer dizer, atrasados. Recusam-se a serem iguais a nós. Mas querem, e muito, saber de nós, como vivemos, o que pensamos, o que produzimos. Eles são curiosos quanto ao que não conhecem do outro, o que raramente a cultura branca faz em relação a eles. Tem sido mais fácil pensá-los com os nossos padrões e ideias de mundo do que nos deslocarmos e reconhecermos como eles pensam. O último Censo mostra que no Brasil existem, vivas, em torno de 270 línguas indígenas. Este dado é revelador e mais ainda por ser desconhecido. São mais de 270 visões de mundo (ameríndias apenas)”.

Sobre a APCA
Composta por 61 membros, a APCA elegeu, na segunda-feira (10), os melhores de 2012 nas seguintes categorias: arquitetura, artes visuais, cinema, dança, literatura, música popular, música erudita, rádio, teatro, teatro infantil e televisão. Neste ano, a diretoria da APCA concede troféu especial em homenagem ao escritor, historiador e crítico teatral Sábato Magaldi, pela contribuição às artes e à cultura brasileira.

Confira, a seguir, os ganhadores nas categorias teatro e teatro infantil:

Teatro
Grande Prêmio da Crítica: Fauzi Arap, pela relevância na história do teatro brasileiro
Espetáculo: “Isso te Interessa?” (Cia. Brasileira de Teatro)
Diretor: Antônio Araújo (“Bom Retiro – 958 Metros”)
Autor: Newton Moreno (“Terra de Santo” e “Maria do Caritó”)
Ator: Eduardo Okamoto e Antônio Salvador (“Recusa”)
Atriz: Dani Barros (“Estamira – Beira do Mundo”)
Prêmio Especial: Projeto “Peep Classic Esquilo” – Cia. Club Noir
Votaram: Afonso Gentil, Carmelinda Guimarães, Celso Curi, Edgar Olímpio de Souza, Erika Riedel, Evaristo Martins de Azevedo, Gabriela Mellão, Jefferson Del Rios, Luiz Fernando Ramos, Maria Eugênia de Menezes, Mauro Fernando, Michel Fernandes, Miguel Arcanjo Prado, Valmir Santos e Vinício Angelici

Teatro Infantil
Espetáculo: “Meu Pai é um Homem Pássaro” – direção de Cristiane Paoli Quito
Direção: Eric Nowinski (“A Linha Mágica”)
Texto: Marcelo Romagnoli (“Terremota”)
Ator: Fábio Spósito (“O Menino que Mordeu Picasso”)
Atriz: elenco feminino completo de “Bruxas, Bruxas… e Mais Bruxas!”, do grupo As Meninas do Conto: Silvia Suzy, Lilian de Lima, Fabiane Camargo, Norma Gabriel, Lívia Sales, Danielle Barros, Fernanda Raquel, Cristina Bosch e Helena Castro
Cenário e figurino: Kleber Montanheiro (“A História do Incrível Peixe-Orelha”)
Revelação do ano: os três atores/manipuladores de “Sonhatório”  – Gabriel Sitchin, Hugo Reis e Rafael Senatore
Votaram: Dib Carneiro Neto, Gabriela Romeu e Mônica Rodrigues da Costa.

  

Texto: Majô Levenstein