Na Semana da Cultura Nordestina, conheça 7 produções que valorizam o Nordeste


Nesta segunda, 2 de agosto, iniciaram-se as comemorações da Semana da Cultura Nordestina, um período especial que celebra as raízes desta encantadora região do Brasil. A data marca a morte do grande artista Luiz Gonzaga (1912-1989), o Rei do Baião e porta-voz nordestino. Desde sua partida, a semana de 2 de agosto tornou-se um marco de valorização do Nordeste. Para homenagear nordestinos e seus descendentes, indicamos 7 produções para você mergulhar neste universo poderoso e cheio de grandes histórias.

TEATRO

Sertão Encantado, de Diego Summer

Em cartaz com ingressos gratuitos no Teatro Gazeta (av. Paulista, 900), aos domingos às 15h, até 22/8, o musical faz um mergulho no universo sertanejo, com a história de amor em uma noite de festa junina com a participação do Arraial Sacode Poeira. Haverá sessão extra no dia 4/9 às 15h. No repertório, clássicos do cancioneiro nordestino, como Qui Nem Jiló, de Gonzagão.

LIVRO

Dona Flor e Seus Dois Maridos, de Jorge Amado

No romance do grande autor baiano, Flor é uma professora de culinária que vê seu marido, o boêmio Vadinho, morrer durante o Carnaval. Ao se casar novamente com o farmacêutico Teodoro, o fantasma do primeiro marido aparece para lhe causar um dilema: qual ela gosta mais?

STREAMING TV 

Bacurau

No filme dos pernambucanos Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, disponível no Globoplay, moradores de um povoado do Nordeste descobrem que o lugar não consta mais no mapa. Acontecimentos estranhos, como drones, mortes e caçadores gringos, dão ritmo à trama. O filme é uma alegoria da maldade que anda junto ao poder, dinheiro e violência. Mas, a união dos moradores muda os rumos da história. 

O Auto da Compadecida

O sucesso literário do paraibano Ariano Suassuna foi transformado em filme pelo pernambucano Guel Arraes, disponível no Globoplay. A trama mostra o mentiroso Chicó e o covarde João Grilo, sertanejos pobres que vivem em Taperoá, no sertão da Paraíba, e lutam pelo pão de cada dia. No meio de tanto sofrimento, esperam por um milagre. Tudo muda com a chegada de malvados cangaceiros no sertão. 

A Febre do Rato

A típica expressão nordestina deu nome ao filme do pernambucano Cláudio Assis, disponível na Netflix. O longa retrata a vida de um poeta anarquista e inconformado que preenche sua vida escrevendo poemas subversivos em um tabloide bancado por ele mesmo. Sua vida, regada a sexo e maconha, muda ao conhecer a resistente Eneida, que muda sua vida. 

Gonzaga, de Pai para Filho

O filme de Breno Silveira, disponível na Netflix, conta a história de Luiz Gonzaga, o Gonzagão, e a sua relação com o filho Gonzaguinha, que se tornou um grande músico, assim como o pai, se consagrando na MPB. Com opiniões políticas diferentes durante a ditadura militar, os dois tiveram desavenças, o que não diminuiu o amor que um sentia pelo outro. 

2000 Nordestes

O filme disponível no Prime Video faz um levantamento sobre o imaginário dos nordestinos na virada dos anos 90 e 2000. Uma série de entrevistas com migrantes de cidades nordestinas que habitam as regiões do Rio de Janeiro e São Paulo mostra quais eram seus sonhos ao seguir para as metrópoles e como é a realidade. Os relatos se completam com cenas clássicas do cinema nordestino, retratando de forma crítica e bem-humorada a região.

Por Rodrigo Barros
Edição Miguel Arcanjo Prado

 




Posts Archives

Na Semana da Cultura Nordestina, conheça 7 produções que valorizam o Nordeste

Posted on

Nesta segunda, 2 de agosto, iniciaram-se as comemorações da Semana da Cultura Nordestina, um período especial que celebra as raízes desta encantadora região do…

Read more

Mostra Aldir Blanc na SP Escola de Teatro reúne 12 peças das 5 regiões do Brasil

Posted on

A SP Escola de Teatro promove a primeira Mostra Aldir Blanc na SP, que estreia nesta terça (4), dia de aniversário de um ano…

Read more