Em atendimento à legislação eleitoral, os demais conteúdos deste site ficarão
indisponíveis de 2 de julho de 2022 até o final da eleição estadual em São Paulo.
Em atendimento à legislação eleitoral, os demais conteúdos deste site ficarão indisponíveis de 2 de julho de 2022 até o final da eleição estadual em São Paulo.
EN | ES

Musical homenageia obra de Tom Zé e recupera formação da “língua brasileira“

 

O espetáculo Língua Brasileira, com direção de Felipe Hirsch e produzida em parceria com o coletivo Ultralíricos, estará em cartaz até o dia 20 de fevereiro, no SESC Consolação. Como alude seu título, a peça é inspirada na música de mesmo nome composta por Tom Zé. Sua temática gira em torno da valorização do português brasileiro, recuperando sua história de formação ainda antes da colonização portuguesa.

Em uma entrevista à imprensa Tom Zé comenta: “A peça tem uma estrutura interessante, começa com 40 minutos de discurso em línguas anteriores ao português”. O músico tropicalista compôs canções inéditas para o experimento cênico.

Sobre o processo que levou a buscar inspiração nas letras do artista, Hirsch comenta que se encantou com as canções do álbum Imprensa Cantada. Segundo o diretor, ‘Língua Brasileira’ em especial dialogava com as pesquisas que realizava com o coletivo Ultralíricos. Para refletir sobre a história de formação do português brasileiro, as canções remetem às origens ibéricas do idioma, portanto, o público se depara com declamações em latim, tupi, bantô e iorubá, traçando um caminho que se delineia rumo a língua atual.

Isso se combina com projeções de palavras, num palco com desenhos que remetem a cultura tupinambá e nagô, o qual foi colorido pelo artista plástico Thiago Martins de Melo. Assim, nas palavras do dramaturgo, mais que uma tese sobre a língua, o espetáculo se propõe uma experiência poética, sonora e sensorial.

Em sua proposição, a peça traz considerações que ajudam a explicar e situar o Brasil no globo, numa consequente exaltação do idioma e da cultura nacional. O diretor explica que o caráter melodioso da fala brasileira, por exemplo, se deve à contribuição da língua africana quimbundo. Foi necessária muita pesquisa para compor o espetáculo, mais de 35 estudiosos de diferentes partes do mundo foram consultados e indicaram textos para sua realização, um deles foi o professor Caetano Galindo, doutor em linguística pela USP. Tal processo extenso de estudo e pesquisa irá, inclusive, se tornar um documentário.

 

Ficha Técnica

– Qui. a sáb., às 20h; dom., às 18h. Até 20/2
– Sesc Consolação, Teatro Anchieta, r. Doutor Vila Nova, 245
– Preço R$ 40,00 (venda de 4 ingressos por pessoa)
– Classificação 16 anos
– Autor Ultralíricos, Felipe Hirsch, Juuar e Vinícius Calderoni (dramaturgista: Caetano Galindo)
– Elenco Amanda Lyra, Danilo Grangheia, Georgette Fadel, Laís Lacôrte, Pascoal da Conceição e Rodrigo Bolzan
– Direção Felipe Hirsch
– Música e letras Tom Zé




Posts Archives

Musical homenageia obra de Tom Zé e recupera formação da “língua brasileira“

Posted on

  O espetáculo Língua Brasileira, com direção de Felipe Hirsch e produzida em parceria com o coletivo Ultralíricos, estará em cartaz até o dia…

Read more