Em atendimento à legislação eleitoral, os demais conteúdos deste site ficarão
indisponíveis de 2 de julho de 2022 até o final da eleição estadual em São Paulo.
Em atendimento à legislação eleitoral, os demais conteúdos deste site ficarão indisponíveis de 2 de julho de 2022 até o final da eleição estadual em São Paulo.
EN | ES

Sustentabilidade das Artes Cênicas é Tema de Mesa de Discussão Gratuita e Aberta ao Público

Publicado em: 09/12/2010

A SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco organiza uma mesa com o tema “Sustentabilidade das Artes Cênicas: Desafios, Perspectivas e Experiências”, a ser realizada em sua sede provisória, na segunda-feira (13), entre 19h e 22h. Gratuito e aberto ao público, o evento encerra o Módulo “Sustentabilidade” do curso de Difusão Cultural “Gestão de Projetos Cênicos”.

 

O intuito da mesa de discussão é proporcionar a troca de conhecimento entre profissionais, aprendizes e público em geral. Para tanto, artistas que estão envolvidos com o pensamento sobre a sustentabilidade no âmbito da economia da cultura como Stefano Florissi, Lala Deheinzelin e Juliana Flory Motta, foram convidados para apresentar suas reflexões acerca das questões que envolvem a sustentabilidade do setor cultural, em relatos descontraídos.

 

Veja abaixo o currículo dos participantes:

 

Stefano Florissi é professor adjunto de Microeconomia, Economia do Setor Público, Economia da Regulação e Economia da Cultura, no Programa de Pós-Graduação em Economia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). É PhD (1996) e Pós-Doutor (2001) pela University of Illinois at Urbana Champaign, nos Estados Unidos. Já foi pesquisador do CNPq, da Agência Nacional de Eletricidade, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS) e, atualmente, coordena o curso de Especialização em Economia da Cultura no  Programa de Pós-Graduação em Economia (SPPGE-UFRGS) e pesquisa nas áreas de Cultura, Gestão Humana e do Conhecimento, Globalização e de multidisciplinariedade na Ciência Econômica.

 

Lala Deheinzelin é uma das especialistas mundiais em economia criativa e desenvolvimento. Assessora e palestrante muito requisitada internacionalmente devido a carreira variada e intensa. Seu eixo de trabalho é mostrar a lideranças governamentais e empresariais a razão de a economia criativa ser estratégica no século XXI, assim como quais são as oportunidades que ela oferece e que condições são necessárias para seu florescimento, resultando na inserção do tema na pauta da agenda de desenvolvimento de diversos estados e municípios do País. Atualmente, desenvolve projetos próprios como “Crie Futuros” e “WikiFuturos: Metodologia, Movimento e Plataformas Digitais Colaborativas para Criação de Futuros desejáveis”.

 

Juliana Floriz ajudou a criar o grupo Pombas Urbanas e participa, há 15 anos, de todos os espetáculos e projetos. Formou-se em 1999, no curso técnico Ator do Senac, coordenado por Lino Rojas. Fora dos palcos, atua na área de comunicação, elaboração e coordenação de projetos como: Pontão Pombas Urbanas de Teatro em Comunidade, Arte em Construção Semeando Asas na Comunidade e Projeto Canto das Letras, ganhador, em 2007, do prêmio Itaú-Unicef Todos Pela Educação. Desde 1999, coordena e ministra cursos de teatro em centros comunitários da periferia de São Paulo, transferindo conhecimentos sobre a formação do ator com base no processo artístico desenvolvido junto ao grupo Pombas Urbanas em bairros como: Parelheiros, Perus, Vila São José, Barro Branco, Luz, Pirituba, São Miguel Paulista, Itaquera, Guaianases, Pirituba, Paraisópolis, Parelheiros, Sé, Penha e Cidade Tiradentes. Atualmente, ministra aulas de teatro e música para jovens e adolescentes no Centro Cultural Arte em Construção, no bairro Cidade Tiradentes.

 

Serviço:
Mesa de Discussão: “Sustentabilidade das Artes Cênicas: Desafios, Perspectivas e Experiências”
Data: segunda-feira (13 de novembro)
Horário: 19h
Local: SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco
Avenida Rangel Pestana, 2.401 – Próximo às linhas Brás e Bresser – Mooca do Metrô.
Informações: 2292- 7988