SP Escola de Teatro recebe atividades gratuitas durante a semana da visibilidade trans

Publicado em: 21/01/2019

Entre os dias 24 de janeiro e 2 de fevereiro, coletivos e entidades em defesa dos direitos humanos realizam a sétima edição da SP Transvisão – Semana da Visibilidade de Travestis, Mulheres Transexuais e Homens Trans. A SP Escola de Teatro e a Associação dos Artistas Amigos da Praça (Adaap) estão entre as organizadoras do evento cuja programação, gratuita, se estende por vários espaços da capital paulista.

Neste ano, a SP Transvisão tem como tema “Resistir para existir, nossas vidas importam”, com discussões sobre políticas de igualdade tanto nas esferas sociais quanto jurídicas. O evento, realizado também em outros espaços da cidade, conta ainda com debates, exibição de filme, palestras e ações sociais. A programação completa está disponível abaixo.

No dia 24 de janeiro, como abertura da semana de visibilidade trans, será inaugurada a exposição “Plural 24h”, no Museu da Diversidade Sexual, metrô República, às 17h. A mostra coletiva reúne obras de fotografia e desenho produzida por 12 artistas, abordando situações rotineiras vividas por pessoas LGBT.

Na sexta (1º), a SP Escola de Teatro será palco da cerimônia de entrega do prêmio Claudia Wonder, destinado a pessoas e entidades cuja atuação está ligada à visibilidade das causas de travestis e transexuais, e receberá também o concurso “Trans-critos, relatos de vidas”, além de seis shows de artistas trans.

Serão 10 dias de evento que se encerram com a Caminhada pela Paz, em 2 de fevereiro, a partir das 13h. A concentração do ato acontece na rua Líbero Badaró, na altura do número 39, Sé.

Confira a programação completa:

24/01
Abertura da exposição “Plural 24h”
Local: Museu da Diversidade Sexual (estação República do metrô)
Horário: 17h
Mostra coletiva com obras de 12 artistas produzidas nas técnicas fotografia e desenho, abordando situações rotineiras vividas por pessoas da comunidade LGBT.

28/01
Exibição do filme “Orações para Bob”
Local: Centro de Acolhida Zaki Narchi (rua Zaki Narchi, 600, Carandiru)
Horário: 15h
Em seguida, haverá uma roda de conversa mediada por Brenda Oliver e Rubi Delafuente, com participação de Elisabete Arabage e Flávia Borges da Defensoria Pública do estado de São Paulo e às 17h30, shows produzidos pelas próprias acolhidas do centro.

29/01
Apresentações no Coreto
Local: Coreto da Praça da República
Horário: 15h
Apresentação: Brunna Valin, Maite Schneider e Millena Wanzeller
Presenças confirmadas:
Defensoria Pública – Atendimento e orientação
CRT (Centro de Referência e Treinamento)– Divulgação de material e orientação
Unidade Móvel de Cidadania LGBTI Central

30/01
Jantar Trans e roda de conversa “Interseccionalidades e Sororidade”
Local: Casa Florescer (rua Prates, 1101, Bom Retiro)
Horário: 18h
Roda de conversa mediada por Nicole Mahier e Jacque Chanel, seguida do Jantar Trans, organizado pelo Projeto ONG Séforas, finalizando com apresentações das acolhidas da Casa.

31/01
Apresentação do projeto do livro-reportagem “Transmasculinidades”
Local: Centro de Cidadania LGBTI Laura Vermont (Leste) (Av. Nordestina, 496, Vila Americana)
Horário: 16h
Apresentação do trabalho de autoria do jornalista Luiz Fernando Prado Uchoa com participação de Yasmin Pestana e Rafael Faber da Defensoria pública do Estado de São Paulo, falando sobre direitos em geral.

1º/02
Apresentações artísticas
Local: SP Escola de Teatro (praça Roosevelt, 210, Consolação)
Horário: 18h
Lançamentos de exposição e do Concurso “Trans-critos, relatos de vidas”, além de seis shows de artistas trans e a entrega do prêmio Claudia Wonder, destinado a pessoas e entidades cuja atuação está ligada à visibilidade das causas de travestis e trasexuais.

2/02
4ª Caminhada Pela Paz
Local: Rua Líbero Badaró, 39, Sé
Horário: 13h
Caminhada tem como tema “Travestis e transexuais: Nossas vidas importam”, com o objetivo de levantar a discussão sobre enfrentamento às discriminações sofridas pela população de travestis, homens e mulheres trans.




Relacionadas:

Notícias | 06/ 12/ 2021

Oficina Olhares: “É possível falar de masculinidade e feminilidade sem sermos binários?”, por Manfrin Manfrin

SAIBA MAIS

Notícias | 06/ 12/ 2021

Oficina Olhares: “As cores da foto do menino no poste estão desaparecendo”, por Milena Siqueira

SAIBA MAIS

Notícias | 06/ 12/ 2021

Oficina Olhares: “Se algo de fato existe, ele é feito de carne e sangra”, por Clara Prado

SAIBA MAIS