SP Escola de Teatro concorre ao Prêmio Aplauso Brasil

Publicado em: 31/07/2013

Como já é sabido, a SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco concorre ao Prêmio Aplauso Brasil de Teatro 2013 – 1º semestre, na categoria Destaque.

“Para nós, é o início do reconhecimento de anos de trabalho e dedicação à arte de formar novos profissionais dos palcos. Estamos muito felizes!”, diz Ivam Cabral, diretor executivo da Instituição. Ele também celebra a indicação do espetáculo “Inferno na paisagem belga”, de sua companhia, Os Satyros, e da qual também integra o elenco. A peça disputa como melhor espetáculo de grupo.

São cinco indicados para cada uma das 14 categorias da premiação. Os três mais votados em cada uma delas estarão na lista final, juntamente com os três vencedores do 2º semestre.

Para votar, é simples, basta clicar aqui. A votação termina às 23h50 do dia 17 de agosto. Participe! A seguir, os indicados em cada categoria:

Prêmio Aplauso Brasil de Teatro 1º Semestre
Melhor trilha original:

Umanto, por “Cais ou da indiferença das embarcações”
Ricardo Severo, por “Córtex”, “Divórcio” e “Louca de amor”
Miguel Briamonte, por “Bette Davis e eu”
Jonatan Harold, por “Camille & Rodin” e “Myrna sou eu”
Marcelo Pellegrini, por “Ensaio”

Melhor espetáculo de grupo:
“Cais ou da indiferença das embarcações”, Velha Companhia
“S-antas”, Amadododito Cia Teatral
“Folias Galileu”, Folias D’ Arte
“Inferno na paisagem belga”, Os Satyros
“Borrasca”, Cemitério de Automóveis

Melhor espetáculo de produção independente:
“Dama da noite”, direção André Lehaun
“The pillowman – o homem travesseiro”, direção Dagoberto Feliz e Bruno Guida
“O desaparecimento do elefante”, direção Monique Gardenberg e Michele Matalon
“Como ser uma pessoa pior”, direção Mário Bortolotto
 “A dama do mar”, direção Robert Wilson

Melhor espetáculo musical:

“Vingança”, Morente Forte Produções
“Alô, Dolly!”, Chaim Produções
“Quase normal”, Eduardo Bakr & Tadeu Aguiar
“O rei leão”, Time For Fun
 “O mágico de Oz “, Aventura Entretenimento

Melhor diretor:
Kiko Marques, por “Cais ou da indiferença das embarcações”
André Lehaun, por “Dama da noite”
Enrique Diaz, por “À primeira vista”
Alan Pires, por “S-antas”
Roberto Alvim, por “Comunicação a uma academia”

Melhor elenco:
“O desaparecimento do elefante” (André Frateschi, Caco Cioccler, Kiko Mascarenhas. Maria Luísa Mendonça, Marjorie Estiano e Rafael Primot)
“Cais ou da indiferença das embarcações” (Velha Companhia)
 “À primeira vista”(Drica Moraes e Mariana Lima)
 “S-ántas” (Ana Paula Franciono , Marilia Grampa, Priscilla Ribeiro e Rafa Campos)
 “The pillowman – o homem travesseiro” (Bruno Guida, Bruno Autran, Flávio Tolenzani, Daniel Infantini e Wandré Oliveira)

Melhor ator:
Luís Melo por “”Ausência”
Luiz Fernando Almeida, por “Dama da noite”
Nilton Bicudo, por “Myrna Sou eu”
Wilson de Santos, por “Bette Davis e eu”
Marcos de Andrade, por “Festa no covil”

Melhor atriz:

Rosana Stavis, por “Árvores abatidas ou para Luís Melo”
Lulu Pavarin, por “Como ser uma pessoa pior”
Juliana Galdino, por “Comunicação a uma academia”
Lígia Cortez, por “A dama do mar”
Sílvia Suzy, por “Como água que sobre água corresse”

Melhor atriz coadjuvante:
Marjorie Estiano, por “O desaparecimento do elefante”
Andrea Marquue, por “Vingança”
Bete Coelho, por “A dama do mar”
Ondina Clais Castilho, por “A dama do mar”
Lígia Cortez, por “A dama do mar”

Melhor ator coadjuvante:
Ubiracy Paraná do Brasil, por “Alô, Dolly!”
Kiko Mascarenhas, por “O desaparecimento do elefante”
Luiz Damasceno, por “A dama do mar”
Marcos Damigo, por “Dueto para um”
Brian Penido Ross, por “Viúvas”

Melhor dramaturgia:
Kiko Marques, por “Cais ou da indiferença das embarcações”
Paulinho Faria, “O homem com a mão na bala”
Germano Melo e Michelle Ferreira, por “Como ser uma pessoa pior”
Diogo Liberano, por “Maravilhoso”
Franz Keppler, por “Divórcio”

Melhor arquitetura cênica (cenário, adereços e ambientação do espaço):
Chris Aizner, por “Cais ou da indiferença das embarcações”
Daniela Bevervanso e VJ Spetto, por “Dama da noite”
Daniela Thomas, por “O desaparecimento do elefante”
Nelson Baskerville, por “Córtex”
Fernando Marés, por “Esta criança”

Melhor figurino:
Fábio Namatame, por “Vingança”
Luiz Careca, por “Dama da noite”
Chris Aizner, por “Cais ou da indiferença das embarcações”
Marichilene Artisevskis, por “Córtex” e “As estrelas cadentes…”
Giorgio Armani, por “A dama do mar”

Destaque:
SP Escola de Teatro
Programação do Centro Internacional de Teatro (CIT) Ecum
Projeto Robert Wilson – SESC/SP
Festival de Teatro de Curitiba 2013
ONG Canto Cidadão
 

Texto: Esther Chaya Levenstein