EN | ES

SP Escola de Teatro apresenta o II Encontro de Teatro de Sombras

Publicado em: 15/11/2010

Em parceria com a SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco, o Grupo Sobrevento realiza uma mesa de discussão com o tema “Teatro de Sombras”, em sua sede, na Zona Leste de São Paulo. O encontro que será realizado na segunda-feira (22), das 17h às 22h, reúne Alexandre Fávero e Ronaldo Robles, dois dos maiores expoentes brasileiros do Teatro de Sombras.

 

No decorrer da noite, os convidados vão mostrar experiências e resultados de pesquisas, na forma de palestras e apresentações de cenas, mediados por Luiz André Cherubini e Sandra Vargas, fundadores do Grupo Sobrevento e, ao final, será aberto espaço para outros artistas e público exporem os seus trabalhos, considerações e dúvidas.
 
 

Em dezembro de 2009, o Espaço Sobrevento reuniu cerca de 20 especialistas brasileiros em Teatro de Sombras da cidade de São Paulo, em um encontro onde foram discutidas questões técnicas e estéticas específicas desta linguagem. Este ano, com o apoio da SP Escola de Teatro, a mesa de discussão “Teatro de Sombras” tem o intuito de ampliar os conhecimentos e multiplicar experiências com o teatro de animação, em um modo diferente de fazer com que artistas formem artistas.

 

Conheça os currículos dos participantes:

 

Alexandre Fávero é cenógrafo, diretor, pesquisador, encenador, ator, sombrista, diretor de arte, produtor, aderecista, bonequeiro e cenotécnico. É fundador da Companhia Teatro Lumbra de Animação, do Clube da Sombra Criações e Produções Artísticas e da Carta Zero Produtora de Arte. Dirige os projetos artísticos da Cia. Teatro Lumbra de Animação, onde realiza pesquisas e experimentações no teatro de animação (Sombraterapia, vivências expressivas, performances); montando espetáculos como experimento “Transapiens”, “Sombrurbanas”, “Sombrazilis” e outro projetos; dirige vídeos promocionais, ministra cursos e realiza vivências teatrais para artistas, educadores e empresas. Desenvolve experiências criativas e originais utilizando curiosas ferramentas cênicas (Bolha Luminosa) e a dramaturgia do teatro de animação, onde funde os conceitos transversais da arte com a ciência, a cultura popular, a filosofia, a psicologia e o sobrenatural. Além de representar o Brasil em festivais internacionais, desenvolver pesquisas de linguagem e da estética da arte, criar e produzir novos projetos e colaborar para a difusão da arte do teatro de animação, dedica-se a escrever um livro sobre a linguagem das sombras e dirige o portal dinâmico da arte do teatro de sombras, o Clube da Sombra, onde é editor do informativo eletrônico Sombrazine e de artigos sobre a estética da arte.

 

A CIA. TEATRO LUMBRA

 

Criada e coordenada pelo pesquisador, cenógrafo e ator/bonequeiro Alexandre Fávero, desde o ano de 2000, a Cia. desenvolve a pesquisa e o experimentalismo avançado da dramaturgia do teatro de animação. As montagens de espetáculos da Companhia e seus projetos de difusão são sempre associados aos temas da cultura brasileira e ao experimentalismo das linguagens expressivas dos mais distintos gêneros do teatro de animação. O resultado dessas atividades teatrais promovidas e desenvolvidas pela Companhia Teatro Lumbra, nas inúmeras temporadas e participações em festivais do gênero, têm possibilitado uma abrangência cada vez maior e mais expressiva de público e também nos mais diferentes meios de comunicação e mídias. Nessa dinâmica de criar e desconstruir conceitos nas suas obras de arte, a Companhia tem aperfeiçoado suas tecnologias alternativas e seu método de trabalho artesanal, transformando ideias em espetáculos, realizando cursos de teatro de animação, projetando sombras nas telas de cinema, realizando filmes, vídeos, shows musicais e demonstrações, prestando assessorias e, principalmente, ousando nas novas experiências.

 

RONALDO ROBLES

 

Ronaldo Robles é formado em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH ) da USP, antropólogo, artista plástico, ator e diretor, participou de várias exposições de artes, integrou o Napedra, núcleo de antropologia do drama e da performance FFLCH/USP. Atualmente, dirige, escreve e atua nos trabalhos da Companhia Quase Cinema,  dando especial tratamento para a pesquisa imagética e simbólica das sombras e a construção de uma dramaturgia da imagem.
 

O ESPAÇO SOBREVENTO

 

Inaugurado em junho de 2009, o Espaço Sobrevento é o único espaço da cidade especialmente dedicado ao Teatro de Bonecos. Mais que uma simples oficina, abriga uma sala de espetáculos, uma biblioteca e uma videoteca especializadas em Teatro de Bonecos, além de um espaço de confecção, treinamento e aperfeiçoamento para marionetistas. O Espaço Sobrevento já abrigou os espetáculos “Bailarina”, “O Anjo e a Princesa”, “Mozart Moments”, “Cadê o Meu Herói?”, “O Copo de Leite”, “O Cabaré dos Quase-Vivos”, “Submundo” e “Orlando Furioso”, todos do Grupo Sobrevento, além de diferentes espetáculos estrangeiros: “Suspended Animation”, do norte-americano Phillip Huber (marionetista do filme “Quero Ser John Malkovich”); o “Teatro de Sombras Chinesas”, da Cia. de Teatro de Sombras de Tangshan, uma das mais destacadas da China; “As Máquinas para o Teatro Inconsciente”, da Cia. La Voce delle Cose, especializada em Teatro de Objetos, da Itália; e o espetáculo “Anda!”, da Cia. La Casa Incierta, da Espanha, especializada em Teatro para Bebês. E também recebeu os espetáculos “O Cavaleiro da Triste Figura”, da Cia. Catibrum, de Minas Gerais; “História de Bar”, da Cia. Truks; “Sonhos de uma Noite de Verão”, do Núcleo N3, que reúne três companhias de Teatro de Animação paulistanas; “Histórias de Amar”, do Grupo Salamandra; “Mulheres”, do Núcleo Trecos e Cacarecos; a pré-estreia de “Só Sonho Samba”, da Cia. Bonecos Urbanos; a “Mostra Memória e Identidade”, da Cia. As Graças; além da pré-estreia do espetáculo “A Criatura”, do Núcleo N3, atraindo cerca de 20 mil espectadores.

 

Luiz André Cherubini, fundador e diretor do Grupo Sobrevento, uma das companhias teatrais brasileiras de maior renome internacional, é especialista em teatro de animação. Com conhecimento de diferentes técnicas e manifestações culturais do mundo todo ele já se apresentou em mais de 150 cidades do Brasil e também em países como na Espanha, Irlanda, Escócia, Irã, Angola, Colômbia, Chile e Argentina. No Brasil, organiza e dirige festivais, como Sesi Bonecos e Riocenacontemporânea. Foi professor de teatro de animação da ECA/USP e ministrou cursos na Universidad Catolicá Blas Canas, Universidad Finisterrae e Muso Del Titere,  três instituições chilenas, além de oficinas no Brasil e em outros países.
 

Bacharel em Artes Cênicas, com habilitação em Interpretação Teatral pela Universidade do Rio de Janeiro (Uni-Rio), Sandra Vargas é uma das fundadoras do Grupo Sobrevento, um dos mais importantes Grupos de Teatro do País. Foi indicada, em 1989, como Melhor Atriz e Revelação de Melhor Atriz para os Prêmios Mambembe e Coca-Cola. Em 2000, ganhou o Prêmio  da Associação Paulista de Críticos de Arte (Apca) de Melhor Atriz. Trabalha como atriz e manipuladora em todos os espetáculos do Grupo Sobrevento e organizou a Mostra Internacional de Teatro de Animação Rio Bonecos 92 (no Centro Cultural Banco do Brasil) e a Mostra Maria Mazzetti de Teatro de Bonecos 95 (no Teatro Ziembinski), em 1996.