EN | ES

Sensibilidade e eloquência dão suporte à profissão do dramaturgo

Publicado em: 12/04/2010

Na manhã de sexta-feira, 9 de abril, os aprendizes do Curso de Dramaturgia participaram de Ateliê Temático com Luís Alberto de Abreu, autor de inúmeros roteiros de filmes, minisséries e espetáculos, como “Bella Ciao”, “Cala Boca já Morreu”, “Apocalipse 1.11”, “O Homem Imortal” e “O Rei do Riso”.
Discípula de Abreu por mais de 10 anos, Marici Salomão, coordenadora do Curso de Dramaturgia, apresentou Abreu como o “mais importante dramaturgo vivo no Brasil” e depois disso, se sentou ao lado de Cláudia Vasconcellos, formadora da Escola, para, mais uma vez, ouvir as palavras de seu antigo professor.
Recebido ao som de efusivos aplausos, Abreu se acomodou calmamente no centro da sala e começou a contar como foi sua extensa pesquisa sobre o crescimento operário no Brasil e os elementos do Partido Comunista. Temas que geraram dois espetáculos de sucesso, “Bella Ciao” e “Cala Boca Já Morreu”.
Se emocionou ao lembrar Carmela, matriarca de uma família de imigrantes que, aos prantos, contou a ele e a Calixto de Inhamuns, produtor do espetáculo “Bella Ciao”, toda a história de sua relação com o esposo partidário e o nascimento de seus 13 filhos, dos quais sete sobreviveram. Esta história o fez entender que a intensidade da experiência de vida abre a sensibilidade do autor. “Olhar humano dá suporte ao herói.”, afirmou Abreu.
Durante o Ateliê, o dramaturgo ainda aproveitou para falar da necessidade de ser independente e auto-suficiente na criação textual. Lembrou que, mesmo no processo colaborativo, cabe ao autor participar efetivamente da pesquisa, a fim de liderar o processo e organizar as ações do espetáculo e também reforçou que sensibilidade e eloqüência são elementos fundamentais na fala do dramaturgo.
Os aprendizes do Curso de Dramaturgia se emocionaram. “Com ele entendi a necessidade de apurar e reverberar a voz do dramaturgo, ele é um referencial, em especial pelo seu olhar às questões brasileiras.”, cita Ricardo. “O “Livro de Jó” e “Bella Ciao” são fenômenos da dramaturgia. Abreu definitivamente é essencial.”, afirma Maria Shu.
O projeto Ateliê Temático realiza uma série de três encontros, com artistas convidados por Marici Salomão, a fim de discutir o processo de criação para peças teatrais e estimular os aprendizes, bem como despertar sua consciência crítica.      
O próximo encontro será no dia 19 de abril com a atriz e dramaturga Noemi Marinho.

Texto e Fotos: Renata Forato | 
SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco | 12/04/2010