¡Salta! É Baseado no Cinema de Lucrecia Martel

Publicado em: 08/02/2013

O Coletivo Teatro Dodecafônico apresenta sua nova montagem, ¡Salta!, que fica em cartaz até 17 de fevereiro, no Espaço das Artes do Sesc Santo Amaro. “Neste trabalho, buscamos reagir aos filmes da cineasta argentina Lucrecia Martel”, conta a diretora do espetáculo, Verônica Veloso, que também é uma das artistas convidadas do curso de Atuação da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco.

No enredo, que tem dramaturgia da escritora gaúcha Verônica Stigger, três mulheres se relacionam e se mesclam, definindo-se ora como irmãs, ora como amigas, mães e filhas. A presença de uma jovem e de um homem ajuda a delinear traços de uma familiaridade confusa. Em uma casa com piscina em algum lugar da América Latina, o ócio, o calor e a espera anunciam algo que aconteceu ou está por acontecer.

Para auxiliar a trama, a companhia conta com a audiocenografia de Felipe Julian. “Cem caixas de som estão espalhadas no espaço para surpreender o espectador”, observa Verônica Veloso.

A marca registrada do Coletivo Teatro Dodecafônico é o desenvolvimento de espetáculos a partir de referências prévias, que podem variar de uma imagem a um texto literário, passando por um filme, caso de “¡Salta!”, cuja pesquisa para sua criação teve início no final de 2011. “Desde nossa primeira montagem, trabalhamos com o conceito de reação. Em vez de simplesmente adaptar as obras, criamos uma linguagem teatral que reaja a elas”, afirma a diretora.

Para saber mais sobre a companhia e o espetáculo, clique aqui.

Serviço
Espetáculo: “¡Salta!”
Quando: Sextas, às 20h; sábados, domingos e feriados, às 19h.
Onde: Espaço das Artes do Sesc Santo Amaro
Rua Amador Bueno, 505– Santo Amaro
Tel.  (11) 5541-4000
Ingressos: R$ 12 (inteira); R$ 6 (usuário matriculado no Sesc e dependentes, aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante), R$ 3 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes)





 

Texto: Majô Levenstein