EN | ES

Repertório Renovado

Publicado em: 28/01/2011

Ares de renovação tomaram conta da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco. Na quinta-feira (27), coordenadores e formadores trocaram seu papel de professores e, logo cedo, se acomodaram nas cadeiras das salas de aula para iniciar uma maratona de estudos por meio de colóquios com especialistas nos temas a serem abordados durante o primeiro semestre de 2011.
 

Quem inaugurou esse projeto foi Cassiano Sydow Quilic, pesquisador e dramaturgo, que realizará dois colóquios com temas como Antonin Artaud e a crise da cultura; o lugar do teatro no século XX; o nascimento do teatro ocidental e a separação do ritual; ação e representação; a questão do corpo; silêncio, grito e palavra; loucura e exílio e ações performáticas, assim como os movimentos Dadaísmo e o Surrealismo e os parâmetros para o teatro ritual.
 

Quilici é mestre em Antropologia Social pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), doutor em Comunicação pela Universidade Pontifícia Católica (Puc/SP), autor do livro “Antonin Artaud: Teatro e Ritual” (Ed. Annablume, 2004) e tem experiência na área de artes, com ênfase em teatro, principalmente teatro moderno, rito e Antonin Artaud.
 

Como dramaturgo, recebeu o prêmio Coca-Cola Femsa, de melhor autor, no ano de 2005, pela peça “As Velhas Fiandeiras”, e trabalhou junto aos artistas Luiz Roberto Galízia, Luis Fernando Ramos, Cacá Carvalho, José Rubens Siqueira, Joana Lopes, Maurício Paroni de Castro, Renato Cohen, Newton Moreno e Cibele Forjaz. Atualmente, leciona no departamento de artes cênicas da Unicamp e na pós-graduação da Puc/SP e é membro da Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Artes Cênicas (Abrace).
 

Segundo Joaquim Gama, coordenador pedagógico da SP Escola de Teatro, esse projeto faz parte de um processo de planejamento, organização e estruturação dos módulos Azul e Verde, que entram em vigor, a partir de 22/2, com o início das aulas. “A ideia é levar o nosso corpo docente a levantar temas e materiais por meio de discussão e estudos com artistas e pesquisadores especialistas para ensinar esse repertório aos aprendizes,”, explica.
 

Em 2011, as aulas matutinas serão realizadas no Módulo Azul cujas propostas pedagógicas e artísticas terão como ponto de partida o movimento Bauhaus e a obra do diretor e dramaturgo Antonin Artaud. “Motivados pelo estudo desses dois materiais, os aprendizes vão trabalhar a performatividade. Além disso, aprendizes matriculados no Módulo Azul, vão poder ocupar vários espaços teatrais, da rua até o banheiro, para se voltar às perspectivas que a própria performance propõe”, explica Gama.
 

Já no período vespertino, os novos aprendizes, começarão seus estudos baseados na obra de Anton Tchecov, no Módulo Verde cujo eixo Temático são os elementos do Realismo e o eixo Operador está relacionado à caixa preta e ao palco italiano.
 

Os colóquios continuam até sexta-feira (18/02) e contarão com nomes como Francisco Medeiros, diretor e coordenador do curso de Atuação da SP Escola de Teatro; Maria Victória Granero, dramaturga e diretora; Lucio Agra, professor, poeta e performer e Elena Vassina, pesquisadora e professora russa.