EN | ES

Ponto | Curiosidades Sobre o Teatro

Publicado em: 04/08/2010

O Ponto era um profissional que ficava escondido em um lugar estratégico do palco e, durante a realização de um espetáculo, lia o texto em voz baixa para os atores, com o objetivo de auxiliar a continuidade da peça. Hoje, com o avanço da tecnologia, alguns encenadores usam o ponto eletrônico para evitar o esquecimento de textos e marcações. O segundo caso geralmente ocorre em grandes produções.
 
Em homenagem a este profissional, a Escola batizou com o nome homônimo a seção que inaugura hoje e que traz curiosidades sobre a história do teatro. Na primeira edição, a possível origem do termo “merda”.
 
Boa Sorte, Merda ou Quebre a Perna?
 
Pode não parecer, mas as três opções significam a mesma coisa. No entanto, nunca escolha a primeira  opção se quer ser simpático com um profissional das artes do palco. Antes de uma estreia ou de uma apresentação, eles preferem ouvir “merda” ou “quebre a Perna”.
 
Umas das explicações remonta à França do século XIX, quando o público chegava às casas teatrais em carruagens ou a cavalo. Os arredores do teatro lotado das fezes desses animais, além do odor insuportável, significavam que muita gente havia comparecido para assistir à montagem. Dessa forma, a expressão “merda” passou a significar boa sorte para a companhia.

Outra lenda sobre o tema envolve o maior de todos os autores, o inglês Shakespeare que, ao ver a quantidade de excrementos em frente ao teatro, emprestou o termo “merda” para desejar boa sorte antes dos espetáculos.

Uma terceira versão conta a saga de um ator que, antes de um espetáculo, no caminho até o teatro, encontrou muitos obstáculos. Quando finalmente chegou ao local de apresentação ainda pisou em um monte de fezes. Já no palco, enfim, o ator realizou uma das mais belas atuações de sua vida e, novamente, o termo “merda” virou sinônimo de boa sorte para os atores.
 
Mas que história é essa de quebrar a perna? Essa é uma história inglesa e, semana que vem, falamos sobre ela.