Podcast de A Vida no Centro é fruto de parceria com a SP Escola de Teatro

Publicado em: 04/07/2019

Podcast do portal A Vida no Centro é gravado em estúdio na unidade Roosevelt da SP Escola de Teatro (Foto: A Vida no Centro/Facebook/Reprodução).

ALLAN NASCIMENTO

Uma espécie de “bússola” com o que há de mais interessante no coração de São Paulo, o portal A Vida no Centro tem como proposta ser vitrine de uma parte da cidade rica em programas culturais e atrações turísticas – além de divulgar a região como polo interessante para quem quer viver e empreender pela área.

Agora, seguindo a tendência dos podcasts, o projeto, que é uma startup de informação e impacto social, está também presente nas principais plataformas de transmissão de áudio com o PodCentro –  programa que recebe convidados para falar de cultura, urbanidades, estilo de vida e história. Gravado no estúdio da SP Escola de Teatro, em uma parceria com a Instituição, quinzenalmente novas edições vão ar. 

“O podcast é mais um meio de atingirmos nosso público, com o qual já dialogamos por meio do portal, redes sociais, newsletter e dos eventos de debates que promovemos para discutir a cidade. O podcast nos permite fazer discussões mais longas e aprofundadas sobre todos os temas que já tratamos no portal. Temos material em texto, fotos, vídeos, e agora em áudio”, comenta a editora Denize Bacoccina, que em parceria com o também jornalista Clayton Melo idealizou o projeto do portal.

LEIA TAMBÉM:
>> SP Escola de Teatro inaugura estúdio de som

Nomes como o diretor executivo da SP Escola de Teatro, Ivam Cabral, o coordenador de Direção, Rodolfo García Vázquez, o urbanista Mauro Calliari, a produtora Fernanda Nave e a atriz Nicole Puzzi já participaram dos debates, sempre transmitidos ao vivo pelas redes sociais do A Vida no Centro. “A audiência, além de acompanhar o programa em primeira mão, pode participar com perguntas, enviadas pelos comentários dessas redes. Para saber quais são os próximos programas, basta acompanhar a nossa página no Facebook, onde sempre publicamos na seção de Eventos”, explica Bacoccina.

Os temas em discussão buscam ir além da agenda cultural da região e dos temas em discussão pelos grandes grupos de comunicação. “No programa desta semana, o jornalista Luiz Octávio de Lima fala sobre a Revolução de 1932, tema sobre o qual ele escreveu um livro. Nossos próximos programas terão temas como os projetos da Prefeitura para o Centro, numa entrevista com o secretário Fernando Chucre. Também vamos debater como é criar filhos no Centro de São Paulo”, adianta a jornalista.

As edições do PodCentro que já foram ao ar e os novos programas podem ser acessados pelas páginas do A Vida no Centro no Spotify, no Soundcloud e no portal da startup

ESTÚDIO

Situado no sétimo andar da unidade Roosevelt da SP Escola de Teatro, o estúdio da Instituição é um dos destaques da estrutura da Escola que está à disposição dos alunos, estimulando neles o desenvolvimento de habilidades técnicas para trabalhar com diversas atividades da economia criativa e da comunidade artística, através de projetos especiais desenvolvidos em parceria.

“Durante a criação da SP Escola de Teatro, já sonhávamos em ter um estúdio de som aqui na Instituição”, relembra Raul Barreto, coordenador do Curso Regular de Sonoplastia. “Pensamos em um espaço que pudéssemos, além de utilizar para gravações, dar aulas. E, após o desenho do estúdio, entramos em um delicado processo de montagem, que demorou mais de um ano para ficar pronto, porque foi feito de um modo muito artesanal, etapa por etapa”, comenta.

Inaugurado em dezembro de 2013, o espaço, cujo planejamento contou com a orientação do produtor musical Sergio Campanelli, sócio da MCR (um dos mais importantes estúdios de gravação do Brasil), contou com a assinatura do engenheiro acústico Egidio Conde, da Echoacustica, falecido em 2015.

“Temos um estúdio profissional. Aqui, é possível gravar trilha sonora, foley (efeitos sonoros para produções audiovisuais), CD’s e também fazer dublagem – inclusive, já oferecemos alguns cursos para dubladores aqui no estúdio com Herbert Richards Jr.”, explica Rodrigo Locaut, técnico de som, colaborador da Instituição.

Diversos grupo teatrais já utilizaram o espaço para gravação de voz off e até cantora Bebel Gilberto já ocupou o estúdio para gravações. “Nós temos três salas para gravação, sendo que uma delas é exclusiva para dublagem. Mas, mesmo com todo o aparato que temos aqui, um dos luxos desse estúdio é a vista que temos para a cidade de São Paulo, principalmente para a Praça Roosevelt. Todos os visitantes elogiam a vista privilegiada que temos, até porque o comum é que os estúdios de gravação funcionem em espaços fechados sem pouco diálogo com o ambiente externo”, finaliza Locaut.




Relacionadas:

Notícias | 30/ 11/ 2021

Dança é destaque no Festival Satyrianas 2021 que acontece nos palcos da unidade Roosevelt da SP

SAIBA MAIS

Notícias | 30/ 11/ 2021

SP Dramaturgias: leitura dramática de texto de Ewerton Frederico acontece na próxima quarta-feira, 8

SAIBA MAIS

Notícias | 30/ 11/ 2021

Ailton Krenak e Andreia Duarte promovem lançamento da primeira plataforma digital de teatro brasileira relacionada ao mundo indígena

SAIBA MAIS